terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Que darei eu ao SENHOR - Comentário do Salmo 116: 11-14

Dizia na minha pressa: Todos os homens são mentirosos.  Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito?
 Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, agora, na presença de todo o seu povo.
                                                                                                                                                   Salmos 116: 11-14


Estamos chegando ao final do ano e ao fazer uma retrospectiva,paro, penso nas promessas feitas no final do ano que passou, dos votos feitos e não cumpridos, das desilusões e principalmente das grandes vitórias alcançadas. Chegamos ao final do ano e se pesar, ser´que podemos dizer que o saldo foi positivo?

Este salmo foi escrito para ser usado na liturgia do templo, diante da congregação de Israel. Tornou-se um modelo de agradecimento para aqueles que se tinham recuperado de enfermidades ou outras crises pessoais.

116.11
Eu disse na minha perturbação. Possíveis Significados Deste Versículo: 1. Os homens, como sacerdotes, falam sobre o poder de Deus para curar, mas visto que “todos os homens são mentirosos" (ver Tito 1.12), como confiar naquilo que eles dizem? Mas o poeta percebeu que fizera um julgamento apressado. Algumas vezes os homens dizem a verdade, especialmente quando falam sobre o poder que Deus tem de curar e abençoar. Se o salmista tivesse escutado todos cuja língua solta os identifica como mentirosos, não teria acreditado que pudesse ser curado. Os homens desapontam a confiança que outros homens depositam neles. Verdadeiramente, eles nos dão razão para não confiarmos neles. Não obstante, algumas vezes pode-se confiar em um homem quando ele está falando sobre o poder de Deus. Ademais, o poeta sagrado contava com o testemunho do Espirito de Deus em seu coração, o qual transcende tudo quanto os homens são e dizem, e isso continuava a segredar-lhe como ele poderia ser curado. Seu clamor pedindo misericórdia submetera Yahweh a teste, e nosso homem não fora desapontado. 2. Há outro sentido possível neste versículo: quando o poeta sagrado buscava a cura, outros diziam-lhe que ele estava iludido em sua fé. Mas eles é que acabaram sendo um bando de mentirosos. Assim sendo, em “consternação" (Revised Standard Version), o poeta chamou-os de mentirosos. Ele não ficou desencorajado ao ouvir todas aquelas mentiras, mas continuou esperando em Yahweh (vs. 12). 3. Ainda outro sentido é possível: o poeta tinha posto sua esperança nos homens. Talvez ele tenha consultado os médicos que o decepcionaram. Então ele disse, “em sua consternação, que os homens são todos vãs esperanças”. Com essa atitude mental, voltou-se para Yahweh.

116.12
Que darei ao Senhor...? O salmista fora curado. Recebera abundância de bênçãos de Yahweh. Ele tinha feito votos: "Senhor, se me curares, farei isto e aquilo por Ti". Mas seus votos (vs. 14) haviam sido superficiais, e o que ele tinha prometido era muito pouco. Portanto, o que ele poderia fazer para demonstrar sua gratidão?
Por misericórdias tão grandes Que posso eu devolver a Deus?
Por misericórdias tão grandes e verdadeiras,
Eu O amarei e servirei Com tudo quanto tenho,
Enquanto minha vida perdurar.
O Procedimento no Templo:
1. O homem vai ao templo. Ele pode estar acompanhado por amigos que tinham seguido de perto o seu caso. Ele leva um animal para ser sacrificado.
2. O sacrifício do animal é efetuado, bem como uma libação.
3. O homem cumpre os votos anteriormente tomados tanto quanto é possível fazê-lo dentro do terreno do templo. Talvez ele traga outros animais para serem sacrificados, ou dinheiro ou algum cereal. Ele tem votos a pagar “ali”.
4. Há cânticos e regozijo. Os sacerdotes e membros da comunidade se juntam a ele. Os levitas músicos (ver I Crô. 25) participam dos cânticos e tocam seus instrumentos.
5. Ele ergue o cálice da salvação, isto é, uma libação de vinho, derramado sobre um vaso perto do altar. Ver o vs. 14, quanto a esse item.
“O escritor sagrado, ao perguntar o que poderia dar ao Senhor como pagamento pela bondade demonstrada (ver o vs. 7; 13.6; 142.7), fez um voto de louvar ao Senhor na congregação” (Allen P. Ross, in loc.).
Este versículo tem sido cristianizado para referir-se a uma vida de dedicação em troca das bênçãos recebidas na salvação.

116.13
Tomarei o cáiice da salvação. Está em pauta uma libação para agradecer a Yahweh por Seu livramento da enfermidade. Uma libação de vinho era vertida em um vaso que estava sobre o altar, um dos “concomitantes de praticamente todo sacrifício animal (cf. Êxo. 29.40; Lev. 23.37; Deu. 32.38; Eze. 20.28; Eclesiástico 50.14,15)” (Wílliam R. Taylor, in loc.).

Nunca te sintas triste ou desanimado Se tens fé para acreditar; Graça para os deveres à tua frente,Pede de Deus e recebe.(Fanny J. Crosby)

A libação seria oferecida em meio aos louvores e às orações, mediante os quais o homem invocaria o nome de Yahweh, para receber Sua oferenda, Seu louvor e Sua vida.

Nosso coração dividido por nada,Contente por deixar tudo por Ele.(James Allen)

“... estando bem disposto, sob o senso das misericórdias recebidas, para suportar ou sofrer qualquer coisa por amor Daquele que o tinha chamado, sabendo que isso seria sinal de sua salvação. Talvez a alusão seja a um chefe de família que, no término de uma festa ou refeição, costumasse tomar um cálice na mão e dar graças a Deus. Ver Mat. 26.27” (John Gill, in loc.).

116.14
Cumprirei os meus votos ao Senhor. O poeta pagou publicamente os seus votos, na presença de muitas testemunhas. Outros votos ele também pagaria “ali”. Haveria presentes outorgados ao templo, atos de caridade, sinais de dedicação e evidências de viver a lei do amor. Excetuando a questão dos sacrifícios e das cerimônias acompanhantes que prestavam louvor público, não somos Informados sobre o que seriam esses votos. Ver no Dicionário o artigo chamado Votos. Essa declaração é repetida no vs. 18. Os votos incluíam toda a espécie de promessas de que a pessoa faria isto ou aquilo, ou daria isto ou aquilo. Esses votos eram considerados com o máximo de seriedade e precisavam ser cumpridos.
Dá-me o teu coração,
Nenhum dom é tão precioso para Ele Como o presente do nosso amor.
Dá-me o teu coração,
Dá-me o teu coração,
Ouve o suave sussurro.
Afasta-te deste mundo escuro:
Dá-me o teu coração.


CONCLUSÃO: O que daremos a este Deus no ano de 2017, qual será nossas ofertas pelas bênçãos alcançadas e todos os seus cuidados.

O Antigo Testamento Comentado Versículo por Versículo - R.N Champlim