quinta-feira, 22 de outubro de 2015

O Louvor de Jesus


"E voltando-se para os discípulos, disse-lhes em particular: Bem-aventurados os olhos que
vêem o que vós vedes." Lc 10.23

Eis um dos momentos mais expressivos da exaltação de Cristo em seu ministério terreno. Iguais a esse, apenas, o do batismo quando o Pai e o Espírito Santo se manifestaram, e o da transfiguração, quando a Lei e a Profecia se curvaram à Graça.

Nesse instante, ainda que apenas diante dos seus discípulos, e sem qualquer manifestação sobrenatural visível, nosso Mestre se revestiu de extremo gozo espiritual por ver-se no cumprimento da obra que o Pai lhe havia determinado, e exultou com o fato, alegrou-se, rejubilou-se, e com isto louvou a Deus, pela prova evidente, com o retorno dos discípulos depois do exercício prático, que a obra redentora estava em andamento. Não haveria mais retorno.
Depois de sua partida, os discípulos, assim treinados, dariam prosseguimento à missão.
Ele mesmo vai sentir que mais ainda terá que ser feito. Vai se munir de 
muita paciência para corrigir a desconfiança de Tomé, as dúvidas de Filipe, a intempestividade de Pedro, o retraimento de João e, sem dúvida, conviver com a contradição permanente de Judas entre eles. Mas não importa, ele sabe que entre esses homens estão aqueles que levarão ao mundo a mensagem e a vida que ele trouxera para salvação da humanidade.
Será que hoje, Cristo ainda exultaria nos vendo na sua obra? Será que olhando-nos, sentiria o mesmo prazer que sentiu por ver que aqueles homens, limitados é verdade, mas que estavam se entregando com dedicação à obra, iriam dar conta do recado?
Como estamos nos dedicando à obra do Senhor?
Com denodo, arrojo e consagração, apesar das nossas limitações? 
O Senhor está exultante com o nosso trabalho ou, reticente, temeroso, duvidando dos resultados que possamos obter com o nosso pouco empenho o e envolvimento com a obra?
Faze-me, Senhor ter prazer em dedicar-me ao teu trabalho, certo sempre que minhas limitações serão transformadas por ti em resultados positivos e bons.