sexta-feira, 23 de outubro de 2015

O LOCAL DE CULTO

Romanos: 12. 1. Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 2. E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.

Paulo ao escrever a igreja em Roma sabia que a cidade poderia ser considerada uma cidade do pecado, os imperadores de uma forma geral mantinham relações homossexuais, o filme Calígula produzido em 1979 reproduz parte do que era o império, o filme é considerado como um porno épico, filme que não é aconselhado a ser visto por ninguém tamanha depravação. 

Hoje não tão distante a época vivemos dias de grande depravação, o conceito familiar tem sido mudado a cada dia, os homens a casa vez mais amantes de si mesmo, entregues as paixões e concupiscências da carne, dias trabalhosos como nos diz o próprio apóstolo.

Ele começa o capitulo 12 com um pedido especial a Deus e aos membros da igreja.
A Deus ele pede: misericórdia, compaixão.
A igreja: Que apresente o corpo.
Em tempos de depravação Paulo clama por misericórdias, conhecedor do amor de Deus e das escrituras que garantem que as misericórdias de Deus são as causas de não sermos consumidos, Paulo eleva a Deus sua petição.

Voltando para a igreja ele pede que cada membro do corpo apresente os próprios corpos a Deus, como

1- Sacrifício vivo: Quando falamos de sacrifício, lembro me do holocausto, em que a carne era colocada no altar e era queimada, a fumaça subia como aroma agradável a Deus. 
Paulo declara: 
Gálatas: 2. 20. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé no filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. 
Gálatas: 6. 17. Daqui em diante ninguém me moleste; porque eu trago no meu corpo as marcas de Jesus. 
Paulo chama atenção aos membros da igreja da importância do corpo que é templo do Espirito Santo e que deve ser entregue completamente a Deus.

2- Santo: Em tempos de depravação a igreja é chamada para ser santa e o interessante é a relação que Paulo faz com o nosso corpo que ele deve ser separado, único e exclusivamente para Deus. Vivemos em um tempo em que as pessoas perderam a visão do que é santo ou profano, pessoas contaminam o templo em todo tempo, por uma visão errônea crendo que para Deus só o coração é importante, todo o corpo é relevante para Deus.
Pedro declara:
1 Pedro: 1. 13. Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos oferece na revelação de Jesus Cristo. 14. Como filhos obedientes, não vos conformeis às concupiscências que antes tínheis na vossa ignorância; 15. mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em todo o vosso procedimento; 16. porquanto está escrito: Sereis santos, porque eu sou santo.
Somos chamados a santidade não só de coração mas de corpo ser santo expressa o quanto amamos a Deus. Nos evangelhos lemos assim:
Lucas: 10. 27. Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.

3. Agradável: O meu sacrifício santo tem de ser agradável Deus deve receber a nossa oferta como servos e servas do Senhor o Salmista nos declara:
Salmos: 37. 4. Agrada-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração. 5. Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará. 

Esta é a nossa forma de culto não só de corpo nem só de alma, mas um culto completo que o apóstolo o chama de culto Racional, onde voltamo- nos de forma plena para Deus e quando cultuamos a Deus assim:
1- Andamos na contramão do mundo: Não nos conformamos com o mundo.
2- Somos agentes de mudanças: Transformados pela renovação de Cristo em nossa mente.
3- Experimentamos a vontade plena de Deus  BOA, PERFEITA E AGRADÁVEL.

Ao ler estes versos entendo que o meu corpo pertence tanto a Deus quanto o meu coração, e que ele é o verdadeiro templo, entendo que a busca de sanidade é fundamental para quem declara seu amor por Jesus e tudo o que faço deve ser agradável a Deus. Entendo que quando ofereço o meu melhor a Deus, ando na contra mão do mundo, sou agente de mudanças e experimento a vontade soberana de Deus.
Pastor Sebastião Luiz Chagas