sexta-feira, 19 de julho de 2013

A NECESSIDADE DE CONFIRMAÇÃO

Um pastor amigo meu foi falar a um grupo de crianças usando sob a roupa uma camiseta especial. Em dado momento anunciou: “Tenho uma coisa para contar a vocês —  uma coisa que nunca disse a ninguém em toda a minha vida!” Num gesto rápido, abriu a toga clerical expondo a camiseta e afirmou: “Eu sou o Super-Homem!”.
As crianças acharam graça. E por fim uma delas o desafiou: “Se o senhor é o Super-Homem, então voe até o teto!”
O pastor, então, continuou explicando-lhes que muita gente afirma ser isto ou aquilo. “Mas”, acrescentou “o problema é que, tendo afirmado ser o Super-Homem é preciso prová-lo.”.
Com relação à liderança, acontece a mesma coisa. Quando alguém apregoa que é líder, tem que provar que o é. E precisa de confirmação de outros que admitam:
“Ele é mesmo o líder”.
O próprio Jesus teve que comprovar sua condição antes que outros o seguissem. Depois que alguns o reconheceram como o Messias prometido, passaram a testemunhar e confirmar sua messianidade.

O Evangelho de João mostra que Jesus estava sempre dando provas daquilo que afirmava acerca de si mesmo, não dando maior ênfase a seus milagres, mas, sim, a comprovações mais contundentes. Podemos encontrar neste evangelho pelo menos sete comprovações do ministério de Cristo. Depois de as examinar, poderemos atacar a questão de saber como se aplicam à liderança atual nas igrejas, aos negócios e a outras organizações.

Trechos do Livro: 
O ESTILO DE LIDERANÇA DE JESUS
Como desenvolver as qualidades de liderança do bom Pastor 
Michael Youssef
Editoria Betânia