quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Uma reflexão sobre o Haloween


Não precisa ter muita percepção para notar que o Haloween não é uma festa adequada aos principios cristãos.

Antes de ser uma festa voltada para o comércio e a diversão, o Dia das Bruxas era uma noite de magia, medo, crendices e superstições que foram fundamentais para a permanência da data, cerca de 2.500 anos depois.

Infelizmente a maioria das pessoas desconhece a origem do Halloween, vendo na ocasião apenas uma oportunidade para festas e brincadeiras. Porém, é importante saber um pouco sobre o que se comemora. No Brasil, a festividade começou aganhar adeptos no final nos anos 80, quando começaram a ser organizadas festas, as primeiras através de cursos de inglês.

Pare e pense:

“Os celtas acreditavam que na noite de 31 de outubro as leis do tempo e do espaço eram suspensas. Nesta data comemorava-se o ano novo dos feiticeiros. Por causa disto, os espíritos vagavam soltos e os mortos visitavam seus antigos lares para exigirem comida. Havia também no fim de outubro o festival da colheita, conhecido como "Samhain", também chamado de "O Senhor dos mortos", onde se faziam grandes fogueiras para assustar os espíritos. Para que estes fossem embora, as pessoas saiam pelas ruas carregando velas acesas e nabos esculpidos com rostos humanos, vestidos de modo mais assustador possível. Nos Estados Unidos o Halloween chegou no século 19, e o nabo foi substituído pela abóbora, fruto mais comum que o primeiro. Tanto o nabo quanto a abóbora são símbolos de imortalidade e juntando-se ao preto que significa a morte em muitas culturas, fazem o par perfeito para o ritualismo macabro e demoníaco. Na década de 20 a antiga tradição virou brincadeira e hoje é uma das principais festas do país. Crianças saem fantasiadas pelas ruas batendo nas portas, dizendo "trick or treat" literalmente travessuras ou bons tratos, para ganhar doces, tudo isto nos dia das bruxas.”

Com esse background histórico lhe pergunto: O que o santo evangelho de Cristo tem haver com isso? Claro que nada.

O Haloween remete á idéa de coisas negativas, totalmente invertidas sob a ótica cristã, pois devemos celebrar a Vida
a ressureição, a luz...

Adaptação do texto de: Soli Deo Gloria.

--
"É chegado o Reino dos Céus" (Mt 10.7)

terça-feira, 30 de outubro de 2012

PORTEIRO DO PROSTÍBULO!!!

Não havia no povoado pior ofício do que 'porteiro do prostíbulo'. Mas que outra coisa poderia fazer aquele homem? O fato é que nunca tinha aprendido a ler nem escrever, não tinha nenhuma outra atividade ou ofício.
Um dia, entrou como gerente do prostíbulo um jovem cheio de ideias, criativo e empreendedor, que decidiu modernizar o estabelecimento. Fez mudanças e chamou os funcionários para as novas instruções.
Ao porteiro disse:
- A partir de hoje, o Senhor, além de ficar na portaria, vai preparar um relatório semanal onde registrará a quantidade de pessoas que entram e seus comentários e reclamações sobre os serviços.
- Eu adoraria fazer isso, Senhor - balbuciou - mas eu não sei ler nem escrever!
- Ah! Quanto eu sinto! Mas se é assim, já não poderá seguir trabalhando aqui.
- Mas Senhor, não pode me despedir, eu trabalhei nisto a minha vida inteira, não sei fazer outra coisa.
- Olhe, eu compreendo, mas não posso fazer nada pelo Senhor. Vamos dar-lhe uma boa indenização e espero que encontre algo que fazer. Eu sinto muito e que tenha sorte.
Sem mais nem menos, deu meia volta e foi embora. O porteiro sentiu como se o mundo desmoronasse. Que fazer? Lembrou que no prostíbulo, quando quebrava alguma cadeira ou mesa, ele a arrumava, com cuidado e carinho.
Pensou que esta poderia ser uma boa ocupação até conseguir um emprego.. Mas só contava com alguns pregos enferrujados e um alicate mal conservado. Usaria o dinheiro da indenização para comprar uma caixa de ferramentas completa. Como o povoado não tinha casa de ferragens, deveria viajar dois dias em uma mula para ir ao povoado mais próximo para realizar a compra.
E assim o fez. No seu regresso, um vizinho bateu à sua porta:
- Venho perguntar se você tem um martelo para me emprestar.
- Sim, acabo de comprá-lo, mas eu preciso dele para trabalhar... já que...
- Bom, mas eu o devolverei amanhã bem cedo.
- Se é assim, está bom.
Na manhã seguinte, como havia prometido, o vizinho bateu à porta e disse:
- Olha, eu ainda preciso do martelo. Porque você não o vende para mim?
- Não, eu preciso dele para trabalhar e além do mais, a casa de ferragens mais próxima está a dois dias mula de viagem.
- Façamos um trato - disse o vizinho. Eu pagarei os dias de ida e volta mais o preço do martelo, já que você está sem trabalho no momento. Que lhe parece?
Realmente, isto lhe daria trabalho por mais dois dias...aceitou. Voltou a montar na sua mula e viajou. No seu regresso, outro vizinho o esperava na porta de sua casa.
- Olá, vizinho. Você vendeu um martelo a nosso amigo. Eu necessito de algumas ferramentas, estou disposto a pagar-lhe seus dias de viagem, mais um pequeno lucro para que você as compre para mim, pois não disponho de tempo para viajar para fazer compras. Que lhe parece?
O ex-porteiro abriu sua caixa de ferramentas e seu vizinho escolheu um alicate, uma chave de fenda, um martelo e uma talhadeira. Pagou e foi embora. E nosso amigo guardou as palavras que escutara: 'não disponho de tempo para viajar para fazer compras'.
Se isto fosse certo, muita gente poderia necessitar que ele viajasse para trazer as ferramentas. Na viagem seguinte, arriscou um pouco mais de dinheiro trazendo mais ferramentas do que as que havia vendido.
De fato, poderia economizar algum tempo em viagens. A notícia começou a se espalhar pelo povoado e muitos, querendo economizar a viagem, faziam encomendas. Agora, como vendedor de ferramentas, uma vez por semana viajava e trazia o que precisavam seus clientes. Com o tempo, alugou um galpão para estocar as ferramentas e alguns meses depois, comprou uma vitrine e um balcão e transformou o galpão na primeira loja de ferragens do povoado.
Todos estavam contentes e compravam dele. Já não viajava, os fabricantes lhe enviavam seus pedidos. Ele era um bom cliente. Com o tempo, as pessoas dos povoados vizinhos preferiam comprar na sua loja de ferragens, do que gastar dias em viagens.
Um dia ele lembrou de um amigo seu que era torneiro e ferreiro e pensou que este poderia fabricar as cabeças dos martelos. E logo, por que não, as chaves de fendas, os alicates, as talhadeiras, etc..
E após foram os pregos e os parafusos... Em poucos anos, nosso amigo se transformou, com seu trabalho, em um rico e próspero fabricante de ferramentas..
Um dia decidiu doar uma escola ao povoado. Nela, além de ler e escrever, as crianças aprenderiam algum ofício. No dia da inauguração da escola, o prefeito lhe entregou as chaves da cidade, o abraçou e lhe disse:
-É com grande orgulho e gratidão que lhe pedimos que nos conceda a honra de colocar a sua assinatura na primeira página do Livro de atas desta nova escola.
- A honra seria minha - disse o homem. Seria a coisa que mais me daria prazer, assinar o Livro, mas eu não sei ler nem escrever, sou analfabeto.
-O Senhor?!?! - disse o prefeito sem acreditar. O Senhor construiu um império industrial sem saber ler nem escrever? Estou abismado. Eu pergunto:
- O que teria sido do Senhor se soubesse ler e escrever?
- Isso eu posso responder - disse o homem com calma. Se eu soubesse ler e escrever... ainda seria o PORTEIRO DO PROSTÍBULO!!!

Geralmente as mudanças são vistas como adversidades. As adversidades podem ser bênçãos. As crises estão cheias de oportunidades. Se alguém lhe bloquear a porta, não gaste energia com o confronto, procure as janelas.
Lembre-se da sabedoria da água: 'A água nunca discute com seus obstáculos, mas os contorna.'
Que a sua vida seja cheia de vitórias, não importa se são grandes ou pequenas, o importante é comemorar cada uma delas. Não há comparações entre o que se perde por fracassar e o que se perde por não tentar.

Autor desconhecido

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Apenas "passe adiante"...!!!


Lá estava eu com minha família, em férias, num acampamento isolado e com carro enguiçado.
Isso aconteceu há 5 anos, mas lembro-me como se fosse ontem.
Tentei dar a partida no carro. Nada...
Caminhei para fora do acampamento e felizmente meus palavrões foram abafados pelo barulho do riacho.
Minha mulher e eu concluímos que éramos vítimas de uma bateria arriada.
Sem alternativa, decidi voltar á pé até a vila mais próxima e procurar ajuda.
Depois de uma hora e um tornozelo torcido, cheguei finalmente a um posto de gasolina.
Ao me aproximar do posto, lembrei que era domingo e é claro, o lugar estava fechado...
Por sorte havia um telefone público e uma lista telefônica já com as folhas em frangalhos.
Consegui ligar para a única companhia de auto-socorro que encontrei na lista, localizada a cerca de 30km dali....
- Não tem problema, disse a pessoa do outro lado da linha, normalmente estou fechado aos domingos, mas posso chegar aí em mais ou menos meia hora.
Fiquei aliviado, mas ao mesmo tempo consciente das implicações financeiras que essa oferta de ajuda me causaria.
Logo seguíamos, eu e o Zé, no seu reluzente caminhão-guincho em direção ao acampamento.
Quando saí do caminhão, observei com espanto o Zé descer com aparelhos na perna e a ajuda de muletas para se locomover.
Santo Deus ! Ele era paraplégico !!!
Enquanto se movimentava, comecei novamente minha ginástica mental em calcular o preço da sua ajuda.
- É só uma bateria descarregada, uma pequena carga elétrica e vocês poderão seguir viagem, disse-me ele.
O homem era impressionante, enquanto a bateria carregava, distraiu meu filho com truques de mágica, e chegou a tirar uma moeda da orelha, presenteando-a ao garoto.
Enquanto colocava os cabos de volta no caminhão, perguntei quanto lhe devia.
- Oh! nada - respondeu, para minha surpresa.
- Tenho que lhe pagar alguma coisa, insisti.
- Não, reiterou ele.
Há muitos anos atrás, alguém me ajudou a sair de uma situação muito pior, em um grave acidente, quando perdi as minhas pernas, e o sujeito que me socorreu, simplesmente me disse :
- Quando tiver uma oportunidade, "Passe isso adiante".
Eis minha chance... Você não me deve nada !
Apenas lembre-se : Quando tiver uma oportunidade semelhante, faça o mesmo...

"Somos todos anjos de uma asa só, mas, como somos imperfeitos, precisamos nos abraçar para alçar vôo"

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Homens que oram



Fonte: Revisa Enfoque Gospel
Rose Guglielminetti
Como fez por toda a sua vida, Daniel se prostrou para orar. Não havia compromisso mais importante para esse homem do que dobrar os seus joelhos, três vezes por dia, e render graças ao Deus todo-poderoso. Aquele dia, porém, era diferente. Pairava sobre a cidade um decreto que poderia levar à morte pessoas que fizessem petição a qualquer deus.
Firme em suas convicções, e mesmo sabendo que a sua fidelidade ao Senhor poderia custar a própria vida, Daniel não se importou. Em seu quarto, onde as janelas davam para Jerusalém, orou ao Senhor. Esse gesto quase lhe custou a vida. A contragosto, já que o seu preferido foi pego em franca transgressão de uma regra real, o rei Dario teve que jogar Daniel à cova dos leões. Todos conhecem o desfecho: a fidelidade e a misericórdia do Senhor alcançaram Daniel e o livraram da morte.
Esse episódio, além de mostrar que Daniel era um homem de oração, também ilustra que a Bíblia está permeada de histórias de homens que dobravam seus joelhos e recorriam ao Rei dos reis pelos mais diferentes motivos: busca por libertação, misericórdia, sabedoria, bênção e conhecimento, entre outros. Essa realidade, porém, parece estar distante dos homens de hoje. Não que eles não orem, mas, em geral, são as mulheres que predominam no ministério de oração nas igrejas.
O escritor e presidente do Centro Mundial de Oração, Peter Wagner, observou que das pessoas que identificam seu chamado principal como sendo de intercessão, 80% são do sexo feminino. Aqui no Brasil, há o ministério Desperta Débora, que reúne mais de 45 mil mães (biológicas, adotivas e espirituais) de qualquer denominação. Elas dedicam 15 minutos por dia para orar por seus filhos. O objetivo desse ministério, que possui 12 anos, é promover um despertamento espiritual na vida da juventude brasileira.

O QUE É O DESPERTA DÉBORA?
Em 1995 nascia o movimento idealizado pelo pastor Jeremias Pereira durante Consulta Global sobre Evangelização Mundial (GCOWE 95), promovido em maio daquele ano em Seul, Coréia do Sul. Nesse encontro, a igreja coreana consagrou cem mil jovens de diversas denominações para a obra missionária. “Era um dia chuvoso e frio e, num daqueles momentos de clamor, uma jovem perto de mim estava com a testa no chão. Em oração, ela se oferecia como mártir para que ao menos uma pessoa da Coréia do Norte entregasse sua vida a Cristo. Ao ouvir aquilo, chorei como um menino e desejei que algo semelhante acontecesse no Brasil”, lembra Pereira.
Ainda em Seul, ele procurou o pastor Marcelo Gualberto e juntos oraram por isso. De volta ao Brasil, após várias reuniões entre os dois e Ana Maria Pereira, esposa de Jeremias (já falecida), foi lançado um movimento de oração direcionado às mães. “Entendi que nenhum movimento missionário começa sem oração. E ninguém ora por um filho da mesma forma que uma mãe”, afirma ele.
O movimento tem o objetivo de reunir mães biológicas, adotivas e espirituais de qualquer denominação comprometidas em orar 15 minutos por dia para que haja um despertar espiritual na vida de seus filhos e de toda a juventude brasileira. O nome do projeto veio da passagem bíblica de Juízes 5.12, quando Débora, uma mãe, se levantou para defender Israel. Ela disse para si mesma: “Desperta, Débora, acorda!”

Se a busca de Deus por meio da oração é inerente ao homem e à mulher de igual modo, por que os homens não assumem o seu posto? Para o pastor Osmar Ludovico, é possível que hoje os homens tenham assumido o espaço da pregação, restando às mulheres a oração como forma de se expressarem verbalmente na igreja. Outro fator que pode explicar o envolvimento das mulheres com a oração é o fato de elas serem mais sensíveis que o sexo masculino nas questões afetivas e do coração. A compaixão, outra característica do sexo feminino, também as faz intercederem mais pelos outros. “Os homens se tornaram mais racionais e pragmáticos”, diz Ludovico.

Mentor e idealizador do Desperta Débora, o pastor Jeremias Pereira alerta: “O que a ala masculina está esperando para arregaçar as mangas e iniciar o exército “Desperta Daniel”?”
Mentor e idealizador do Desperta Débora, o pastor Jeremias Pereira concorda com o seu colega. “Para ser intercessor, é necessário ter o coração compassivo e sensível, característica maior das mulheres. Os homens, por terem os corações mais durões, quando recorrem a Deus já percorreram um longo caminho”, avalia ele, que é pastor da Oitava Igreja Presbiteriana de Belo Horizonte.
O vendedor ambulante Luiz Carlos da Silva conserva ao seu lado uma pasta. Não se trata de catálogos ou folhetos de produtos, mas folhas e mais folhas de pedidos de oração. Silva faz parte do grupo dos homens que oram. Não são raras as ocasiões em que ele já ficou mais de três horas ajoelhado. “O mais importante é descobrir o prazer da presença do Senhor. A intercessão pelo outro vem como conseqüência. Às vezes, durante a oração, oro por algo que não havia pensado. Depois anoto e passo a interceder porque sei que é da vontade de Deus”, diz.
A prática diária da oração, para Silva, é herança do ensinamento da liderança de sua igreja. “Meu primeiro pastor era um homem que não apenas orava, mas pregava muito sobre oração e céu, e quase nada de prosperidade. Lembro que, na época (1971), ele tinha um grupo de amigos que se encontravam para orar. Aprendi com ele”, revela. Os motivos que afastam os homens da oração? “Trabalho e correria do dia-a-dia”, resume.
Para o pastor David de Mello Junior, líder de cerca de mil adolescentes da Igreja do Nazareno, em Campinas (SP), é justamente a falta de consistência espiritual dos pais que acaba refletindo na formação espiritual dos adolescentes. “Muitos pais não sabem transmitir a mensagem porque a igreja, em alguma proporção, não se norteia em princípios claros da Palavra para a responsabilidade familiar. Isso gera nos pais a procura por fórmulas, paliativos, técnicas para solucionar o cotidiano. O rumo deve ser o que Deus nos legou através da vivência familiar de oração, reflexão bíblica e orientação espiritual na comunhão”.

A falta de vivência familiar de oração acaba refletindo na formação dos filhos, pensa o pastor David de Mello Junior

CAMINHO DE VOLTA
Quando oram menos do que deveriam, os homens cometem uma falha grave: deixar de ser o líder espiritual do seu próprio lar, já que a Bíblia orienta que eles devem dobrar seus joelhos para buscar orientação de Deus. Se um homem não ora, como poderá ser líder espiritual? Com isso, pode estar abdicando de seu papel e de sua autoridade espiritual.
Ludovico ressalta que os homens têm que fazer um caminho em direção ao coração e à afetividade. “A busca de Deus através da oração é sempre uma pálida resposta ao grande amor com que fomos amados. É desejo de estar com Aquele que nos ama de forma absoluta e completa”, diz.

Mas orar não é pedir em prol do próprio conforto pessoal, mas desfrutar da companhia de Deus. Quanto mais amamos a Deus, explica Ludovico, menos necessidades urgentes e circunstanciais se tem. “A vida de oração se torna comunhão e amizade com Deus. Orar é entrar na comunhão da Trindade”, explica o pastor, acrescentando ainda que Tereza D´Ávila, religiosa e escritora espanhola, nascida em 1515, fez a seguinte oração: “Que nada te perturbe, que nada te apavore, tudo passa, só Deus não muda. A paciência tudo alcança. Quem tem Deus, nada lhe falta, só Deus basta”.
Presidente da Igreja Sara Nossa Terra, pastor Robson Rodovalho até concorda que as mulheres são mais abertas ao mundo espiritual e que freqüentam mais as igrejas do que os homens, e aceita a tese de que a ala feminina ora mais. Para ele, a falta dessa intimidade com Deus é um aspecto da vida moderna. “A sociedade de hoje é muito agitada e cheia de compromissos. Isso atrapalhou muito o devocional e a comunhão que as pessoas deveriam ter com Deus. O homem de hoje não tem tempo de orar como deveria”.
Jeremias Pereira alerta que para que homens orem mais, é preciso que haja mais liderança e mentoria. “É urgente um despertamento de homens, sejam jovens, adultos, idosos ou crianças, para a oração. Então, o que a ala masculina está esperando para arregaçar as mangas, assumir seu lugar nessa guerra, e iniciar o exército “Desperta Daniel”?

FECHAMENTO DA FESTA DA INTERSEÇÃO - PR. FRANCISCO E GRUPO ROSA DE IRMÃS DE BANGU







terça-feira, 23 de outubro de 2012

A roupa não faz o homem



Mahatma Gandhi só usava uma tanga, a fim de se identificar com as massas simples da Índia.
Certa vez, ele chegou assim vestido, numa festa dada pelo governador inglês. Os criados não o deixaram entrar.
Ele voltou para casa e enviou um pacote ao governador, por um mensageiro.
O governador ligou para a casa dele e perguntou-lhe o significado do embrulho.
O pequeno grande homem respondeu:
"Fui convidado para a sua festa, mas não me permitiram entrar por causa da minha roupa. Se é a roupa que vale, eu lhe envio o meu terno."
Autor desconhecido

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Deficiências



Deficiente é aquele que não consegue modificar a vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
Louco é quem não procura ser feliz com o que possui.
Cego é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
Surdo é aquele que não tem tempo de ouvir o desabafo de um amigo ou o apelo de um irmão, pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
Mudo é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
Paralitico é quem não consegue andar na direção daquelas que precisam de sua ajuda.
Diabético é quem não consegue ser doce.
Anão é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
Miseráveis são todos que não conseguem falar com Deus.
Mário Quintana
Enviada por: Edeli Arnaldi

domingo, 21 de outubro de 2012

Como mudar o mundo




Eis o que conta, de si mesmo, 
o sufi Bayazid: "Na juventude, 
eu era um revolucionário e assim rezava: 
‘Dai-me energia, ó Deus, para mudar o mundo!’

Mas notei, ao chegar à meia-idade, 
que metade da vida já passara 
sem que eu tivesse mudado homem algum. 
Então, mudei minha oração, dizendo a Deus: 
‘Dai-me a graça, Senhor, de transformar os que 
vivem comigo dia a dia, 
como minha família e meus amigos; 
com isso já ficarei satisfeito...’

Agora que sou velho e tenho os dias contados, 
percebo bem quanto fui tolo assim rezando. 
Minha oração, agora, é apenas esta: 
‘Dai-me a graça, Senhor, de mudar a mim mesmo.’ 
Se eu tivesse rezado assim, desde o princípio, 
não teria esbanjado minha vida."


FESTA DO MINISTÉRIO DE ORAÇÃO


terça-feira, 16 de outubro de 2012

Eu, domador de mim...



Ele já tinha todas as rugas do tempo, quando o encontrei pela primeira vez. Queixava-se de que tinha muito o que fazer. Perguntei-lhe como era possível que em sua solidão, tivesse tanto trabalho...
- Tenho que domar dois falcões, treinar duas águias, manter quietos dois coelhos, vigiar uma serpente, carregar um asno e dominar um leão! - disse ele.
- Não vejo nenhum animal perto do local onde vives. Onde eles estão? Ele explicou:
- Estes animais, todos os Homens têm!
Os dois falcões se lançam sobre tudo o que aparece, seja bom ou mau. Tenho que domá-los para que se fixem sobre uma boa presa. São os meus OLHOS!
As duas águias, ferem e destroçam com suas garras. Tenho que treiná-las para que sejam úteis sem ferir. São as minhas MÃOS!
Os dois coelhos querem ir aonde lhes agradem. Fugindo dos demais e esquivando-se das dificuldades... Tenho que ensinar-lhes a ficarem quietos, mesmo que seja penoso, problemático e desagradável. São os meus PÉS!
O mais difícil é vigiar a serpente. Apesar de estar presa numa jaula de 32 barras, mal se abre a jaula, está sempre pronta para morder e envenenar os que a rodeiam. Se não a vigio de perto, causa danos. É a minha LÍNGUA!
O asno é muito obstinado, não quer cumprir com suas obrigações. Alega estar cansado e se recusa a transportar a carga de cada dia. É o meu CORPO!
Finalmente, preciso dominar o leão... Ele sempre quer ser o Rei, o mais importante. É vaidoso e orgulhoso. É o meu CORAÇÃO!
Autor desconhecidoEnviada por: Edeli Arnaldi

sábado, 13 de outubro de 2012

A VINGANÇA NÃO COMPENSA!


“Não te deixes vencer pelo mal, mas vence o mal com o bem.” (Romanos 12:21)

“O menino chegou da escola bufando de raiva de um colega que o humilhou na frente de seus amigos. Em vão seu pai tenta acalmá-lo. Percebendo que ele precisa "botar pra fora" sua raiva, o pai propõe-lhe uma forma alternativa de vingança:
- Vê aquela camiseta branca no varal, filho? Pois, bem, imagine que aquela camiseta é menino que te aborreceu. Pegue aqui neste saco alguns pedaços de carvão e atire bem no peito dele. Vamos ver quantas vezes você é capaz de acertá-lo, até que sua raiva passe.
A coisa pareceu-lhe boba, mas ele aceitou. Afinal de contas seu pai estava do seu lado. Errou algumas, acertou outras, mas atirou até a última pedra de carvão que havia no saco. No fim o pai perguntou-lhe:
- E aí, filhão, como se sente?
- Muito bem, pai, olha só como ficou a camiseta!
O pai, então, convida-o a entrar e o coloca diante de um espelho. O menino leva um susto ao ver o quanto estava sujo de carvão. O pai então lhe disse:
- Assim é a vingança filho, você sempre acabará ficando sujo enquanto estiver atacando a pessoa que odeia. Perdoar é melhor!”

É incontestável que a vingança não é melhor remédio para curar uma ofensa, pois ela nos prende definitivamente ao ofensor, enquanto que o perdão nos liberta para seguir em frente. As pessoas que nos machucaram só podem continuar a fazê-lo se nos agarrarmos a elas por meio da mágoa, do ressentimento e da vingança.

Se decidirmos nos vingar e vez de perdoar, estaremos nos rebaixando ao nível de quem nos ofendeu e como resultado nos tornaremos tão ou mais errados. A verdade é que quem se vinga se deixou vencer pelo mal... Seja qual for o mal que lhe fizeram, vença pelo perdão!

Pr. Gerson Moura Martins

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

AMIZADES


Um jovem recém casado estava sentado num sofá num dia quente e úmido, bebericando chá gelado durante uma visita ao seu pai.

Ao conversarem sobre a vida, o casamento, as responsabilidades, as obrigações da pessoa adulta, o pai remexia pensativamente os cubos de gelo no seu copo e lançou um olhar claro e sóbrio para seu filho.

Nunca se esqueça de seus amigos! Aconselhou. Serão mais importantes na medida em que você envelhecer. Independentemente do quanto você ame sua família, os filhos que porventura venham a ter, você sempre precisará de amigos...
Lembre-se de ocasionalmente ir a lugares com eles; faça coisas com eles; telefone para eles...

Que estranho conselho! Pensou o jovem.. Acabo de ingressar no mundo dos casados. Sou adulto. Com certeza minha esposa e a família que iniciaremos serão tudo que necessito para dar sentido à minha vida!

Contudo, ele obedeceu ao pai. Manteve contato com seus amigos e anualmente aumentava o número de amigos. Na medida em que os anos se passavam, ele foi compreendendo que seu pai sabia do que falava. Na medida em que o tempo e a natureza realizam suas mudanças e mistérios sobre um homem, amigos são baluartes de sua vida.

Passados 50 anos, eis o que aprendi:

O Tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa...
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêm.
O amor fica mais frouxo.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.

MAS... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estão entre vocês.
Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor e esperando você de braços abertos, abençoando sua vida!

Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante, nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros!

O fogo, a água, e a confiança



Era uma vez... o FOGO, a ÁGUA, e a CONFIANÇA.
Eles entraram em uma floresta escura e o fogo disse: 
- Se eu me perder procurem a fumaça, pois onde há fumaça, há fogo!

A água disse: - Se eu me perder me procurem na umidade, 
pois onde onde há umidade há água!

Então a confiança disse: - Se eu me perder não me procurem, 
pois uma vez perdida nunca mais me encontrarão...

"A confiança é a base de todos os sentimentos",
nunca perca a confiança de ninguém, ela jamais volta.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Você é nosso convidado


O valor dos pais



Um jovem, de nível acadêmico excelente, candidatou-se à posição de gerente de uma grande empresa. Passou na primeira entrevista e o diretor fez a última, tomando a decisão final.

O diretor descobriu, através do currículo, que as suas realizações acadêmicas eram excelentes em todo o percurso, desde o secundário até a pesquisa da pós-graduação e não havia um ano em que não tivesse pontuado com nota máxima.

O diretor perguntou: "Você teve alguma bolsa na escola?" O jovem respondeu: "Nenhuma."

O diretor perguntou: "Foi seu pai quem pagou as suas mensalidades?" O jovem respondeu: "O meu pai faleceu quando eu tinha apenas um ano, foi a minha mãe quem pagou as minhas mensalidades."

O diretor perguntou: "Onde trabalha a sua mãe?" E o jovem respondeu: "A minha mãe lava roupas."

O diretor pediu que o jovem mostrasse as mãos. O jovem mostrou um par de mãos macias e perfeitas.

O diretor perguntou: "Alguma vez ajudou sua mãe a lavar as roupas?" O jovem respondeu: "Nunca, a minha mãe sempre quis que eu estudasse e lesse mais livros. Além disso, a minha mãe lava a roupa mais depressa do que eu."

O diretor disse: "Eu tenho um pedido. Hoje, quando voltar, vá e limpe as mãos de sua mãe e depois venha ver-me amanhã pela manhã."

O jovem sentiu que a possibilidade de obter o emprego era alta. Quando chegou em casa, muito feliz, pediu à mãe que o deixasse limpar as suas mãos. A mãe achou estranho; estava feliz, mas com um misto de sentimentos mostrou as suas mãos ao filho.

O jovem limpou lentamente as mãos da mãe. Uma lágrima escorreu-lhe enquanto o fazia. Era a primeira vez que reparava que as mãos da mãe estavam muito enrugadas e havia demasiadas contusões em suas mãos. Algumas eram tão dolorosas que a mãe se queixava quando estavam sendo limpas com água.

Esta era a primeira vez que o jovem percebia que o par de mãos que lavava roupa todo dia tinha-lhe pago as mensalidades. As contusões nas mãos da mãe eram o preço a pagar pela sua graduação, excelência acadêmica e seu futuro.

Após acabar de limpar as mãos da mãe, o jovem silenciosamente lavou as roupas restantes para sua mãe.

Nessa noite, mãe e filho falaram por um longo tempo.

Na manhã seguinte, o jovem foi ao gabinete do diretor, que percebeu as lágrimas nos olhos do jovem e perguntou: "Diga-me, o que fez e aprendeu ontem em sua casa?"

O jovem respondeu: "Eu limpei as mãos de minha mãe e ainda acabei de lavar as roupas que sobraram."

O diretor pediu: "Por favor, diga-me o que sentiu."

O jovem disse: "Primeiro, agora sei o que é dar valor. Sem minha mãe, não haveria um "eu" com sucesso hoje. Segundo, ao trabalhar e ajudá-la, só agora percebi a dificuldade e dureza que é ter algo pronto. Em terceiro, agora aprecio a importância e valor de uma relação familiar."

O diretor disse: "Isto é o que eu procuro em um gerente. Quero recrutar alguém que saiba apreciar a ajuda dos outros, uma pessoa que conheça o sofrimento alheio para ter as coisas feitas e uma pessoa que não coloque o dinheiro como o seu único objetivo na vida. Está contratado."

Mais tarde, este jovem trabalhou arduamente e recebeu o respeito de seus subordinados. Todos os empregados trabalhavam diligentemente e como equipe. O desempenho da empresa melhorou tremendamente.

Uma criança que foi protegida e teve habitualmente tudo o que quis se desenvolverá mentalmente e sempre se colocará em primeiro. Ignorará os esforços de seus pais e quando começar a trabalhar, assumirá que todas as pessoas devem ouvi-la e quando se tornar gerente, não saberá o sofrimento de seus empregados e sempre culpará os outros. Este tipo de pessoa, que podem ser boas academicamente, ser bem sucedidas por um tempo, mas, eventualmente, não sentirão a sensação de objetivo atingido. Irão resmungar, estar cheias de ódio e lutar por mais.

Se somos esse tipo de pais, estamos realmente a mostrar amor ou estamos a destruir nossos filhos?

Pode-se deixar seu filho viver em uma grande casa, comer boas refeições, aprender piano e ver televisão em uma grande TV de plasma. Mas, quando cortar a grama, por favor, deixe-o experienciar isso. Depois da refeição, deixe-o lavar o seu prato juntamente com os seus irmãos e irmãs. Deixe-o guardar seus brinquedos e arrumar sua própria cama. Isto não é porque não tem dinheiro para contratar uma empregada, e sim porque quer amar e ensinar como deve ser. Quer que ele entenda que não interessa o quão ricos os seus pais são, pois um dia ele irá envelhecer, tal como a mãe daquele jovem. A coisa mais importante que os seus filhos devem entender é apreciar o esforço e a experiência da dificuldade, bem como a aprendizagem da habilidade de trabalhar com os outros para fazer as coisas.

Autor desconhecido

A cicatriz



Um menino tinha uma cicatriz no rosto, as pessoas de seu colégio não falavam com ele e nem sentavam ao seu lado, na realidade quando os colegas de seu colégio o viam franziam a testa devido à cicatriz ser muito feia.
Então a turma se reuniu com o professor e foi sugerido que aquele menino da cicatriz não frequentasse mais o colégio, o professor levou o caso à diretoria do colégio.
A diretora ouviu e chegou à seguinte conclusão: Que não poderia tirar o menino do colégio, e que conversaria com o menino e ele seria o último a entrar em sala de aula e o primeiro a sair, desta forma nenhum aluno veria o rosto do menino, a não ser que olhasse para trás.
O professor achou magnífica a ideia da diretora, sabia que os alunos não olhariam para trás.
Levado ao conhecimento do menino a decisão ele prontamente aceitou a imposição do colégio, com uma condição:
Que ele compareceria na frente dos alunos em sala de aula, para dizer o por quê daquela CICATRIZ.
A turma concordou, e no dia o menino entrou em sala dirigiu-se a frente da sala de aula e começou a relatar:
— Sabe turma eu entendo vocês, na realidade esta cicatriz é muito feia, mas foi assim que eu a adquiri: minha mãe era muito pobre e para ajudar na alimentação de casa minha mãe passava roupa para fora, eu tinha por volta de 7 a 8 anos de idade...
A turma estava em silêncio atenta a tudo. O menino continuou: além de mim, haviam mais 3 irmãozinhos, um de 4 anos, outro de 2 anos e uma irmãzinha com apenas alguns dias de vida.
Silêncio total em sala.
...Um dia não sei como, a nossa casa que era muito simples, feita de madeira começou a pegar fogo, minha mãe correu até o quarto em que estávamos pegou meu irmãozinho de 2 anos no colo, eu e meu outro irmão pelas mãos e nos levou para fora, havia muita fumaça, e estava muito quente...
...Minha mãe colocou-me sentado no chão do lado de fora e disse-me para ficar com eles até ela voltar, pois minha mãe tinha que voltar para pegar minha irmãzinha que continuava lá dentro da casa em chamas. Só que quando minha mãe tentou entrar na casa em chamas as pessoas que estavam ali não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha, eu via minha mãe gritar: "minha filhinha esta lá dentro!" Vi no rosto de minha mãe o desespero, o horror e ela gritava, mas aquelas pessoas não deixaram minha mãe buscar minha irmãzinha...
...Foi aí que decidi. Peguei meu irmão de 2 anos que estava em meu colo e coloquei ele no colo do meu irmãozinho de 4 anos e disse-lhe que não saísse dali até eu voltar. Saí entre as pessoas e quando perceberam eu já tinha entrado na casa. Havia muita fumaça, estava muito quente, mas eu tinha que pegar minha irmãzinha. Eu sabia o quarto em que ela estava. Quando cheguei lá ela estava enrolada em um lençol e chorava muito...
...Neste momento vi caindo alguma coisa, então me joguei em cima dela para protegê-la, e aquela coisa quente encostou em meu rosto...
A turma estava quieta atenta ao menino e envergonhada, então o menino continuou:
...Vocês podem achar esta CICATRIZ feia, mas tem alguém lá em casa que acha linda e todo dia quando chego em casa, ela, a minha irmãzinha a beija, porque sabe que é marca de AMOR.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

TRAIR E ORAR, É SÓ COMEÇAR!



Dani Marques


O título te escandalizou? Ou foi a imagem? Sabe o que que mais me escandaliza, ou melhor, indigna? É saber que o adultério corre solto dentro das igrejas. Os escândalos anunciados na mídia e os muitos e-mails que recebo não me deixam mentir. Não, não estou falando de pessoas que vez ou outra traem, se arrependem genuinamente e buscam restauração em Cristo, mas sim daqueles que se dizem irmãos e vivem na imoralidade. Ou seja, o adultério e a prostituição fazem parte da sua vida tanto quanto a oração e leitura da Palavra (diga-se de passagem: leitura conveniente da Palavra). Um dos exemplos que me vem a mente, é o caso do pastor que ignorou o acento da palavra adúltera, acrescentou uma vírgula no texto e criou um justificativa para traçar sua "ovelhinha": "Vá, tome uma mulher, adultera...". Veja a diferença do texto original: "Vá, tome uma mulher adúltera e filhos da infidelidade, porque a nação é culpada do mais vergonhoso adultério por afastar-se do Senhor". Oséias 1:2.

Líderes religiosos usando a Palavra para justificar o pecado? Não preciso nem me dar ao trabalho de procurar. Tem aos montes!

Mas não podemos esquecer que adultério não envolve apenas o ato físico: "Mas eu lhes digo: qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração". Mt 5:28. "Vixi, então o negócio tá feio!" Feio? Tá feio, encardido e fedendo a estrume!
Quantos líderes religiosos lascivos estão levedando toda a massa? Pregando a Vida e vivendo na morte? Abra o cardápio da imoralidade e observe:

1 - Pastores que traem suas esposas com mulheres da própria igreja;
2 - Mulheres que sentem prazer em acentuar suas curvas para atrair olhares;
3 - Líderes religiosos frequentadores de prostíbulos;
4 - Líderes de jovens viciados em pornografia;
5 - Pastoras com fogo na periquita incendiando o "gabinete pastoral";
6 - Mulheres que usam o pretexto do aconselhamento individual para seduzir seus líderes;
7 - "Levitas" praticantes de sexo virtual;
8 - Padres pedófilos e etc.

A exortação hoje é para os que se dizem cristãos, pregam Jesus, mas não vivem o que pregam. Para os que sabem que adultério é pecado, que pornografia é adultério, mas "consideram prazer entregar-se à devassidão em plena luz do dia. São nódoas e manchas, regalando-se em seus prazeres... Tendo os olhos cheios de adultério, nunca param de pecar, iludem os instáveis e têm o coração exercitado na ganância. Malditos! 2 Pe 2:13 e 14

A vocês, Cristo tem algo a dizer: "Melhor lhe seria amarrar uma pedra de moinho no pescoço e se afogar nas profundezas do mar. Teria sido melhor que não tivessem conhecido o caminho da justiça, do que, depois de o terem conhecido, voltarem as costas para o santo mandamento que lhes foi transmitido. Confirma-se neles que é verdadeiro o provérbio: "O cão voltou ao seu vômito" e ainda: "A porca lavada voltou a revolver-se na lama". Mt 18:62 e Pedro 2:1-22

"Mas Dani, como alguém que conhece a Cristo e prega a sua Palavra é capaz de fazer tal coisa?" Sinto-lhe dizer, mas isso não é novidade e nem raridade. Paulo que o diga: "É verdade que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade. Estes o fazem por amor, sabendo que aqui me encontro para a defesa do evangelho. Aqueles, pregam a Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso." Filipenses 1:15-17

O texto de hoje fala diretamente aos adúlteros, mas inclua na lista os caluniadores, apegados ao dinheiro, roubadores, maledicentes, injustos e depravados. Os invejosos, homicidas, que promovem rivalidades e estão cheios de engano e malícia. Também os bisbilhoteiros, insolentes, arrogantes e presunçosos. Os que inventam maneiras de praticar o mal, desobedecem a seus pais, são insensatos, desleais, sem amor pela família e implacáveis.

Calma, eu ainda não terminei: os "levitas", que cantam tão bem quanto cantam a mulher dos outros, os que tocam com tanto profissionalismo quanto tocam material pornográfico e os que falam tão bem quanto mentem. Os que mostram aparente misericórdia, mas não são capazes de demonstrar amor nem pela própria esposa, os que pregam Mateus 6:19 mas vivem Lucas 12:19, os que exaltam a atitude do bom samaritano, mas agem como o sacerdote e o levita e os que que amedrontam suas ovelhas com Malaquias 3 e se deleitam com os "frutos" deste medo. Acho que vou parar por aqui, porque a lista é grande!

"Embora essas pessoas conheçam o justo decreto de Deus, de que as pessoas que praticam tais coisas merecem a morte, não somente continuam a praticá-las, mas também aprovam aqueles que as praticam. Será que você despreza as riquezas da sua bondade, tolerância e paciência, não reconhecendo que a bondade de Deus o leva ao arrependimento? Contudo, por causa da sua teimosia e do seu coração obstinado, você está acumulando ira contra si mesmo, para o dia da ira de Deus, quando se revelará o seu justo julgamento. Deus retribuirá a cada um conforme o seu procedimento." Romanos 1:32 e 2:4-6

Não, o Senhor não leva em conta o tempo da nossa ignorância, conforme Atos 17:30, mas pra você que não é um ignorante e já conheceu o caminho da justiça, a sua ÚNICA saída é o arrependimento, antes que sua alma seja requerida e antes que a volta de Cristo te surpreenda como o ladrão na noite. E pra terminar, te desafio a se decidir entre o frio e o quente. Se optar por Cristo, mude de vida hoje, busque-o! Mas se pretende continuar se deleitando em seus prazeres, renegue-o, antes que você seja vomitado de Sua boca:

"Conheço as suas obras, sei que você não é frio nem quente. Melhor seria que você fosse frio ou quente! Assim, porque você é morno, nem frio nem quente, estou a ponto de vomitá-lo da minha boca. Você diz: Estou rico, adquiri riquezas e não preciso de nada. Não reconhece, porém, que é miserável, digno de compaixão, pobre, cego e que está nu. Dou-lhe este aconselho: Compre de mim ouro refinado no fogo e você se tornará rico; compre roupas brancas e vista-se para cobrir a sua vergonhosa nudez; e compre colírio para ungir os seus olhos e poder enxergar. Repreendo e disciplino aqueles que eu amo. Por isso, seja diligente e arrependa-se. Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei e cearei com ele, e ele comigo." Apocalipse 3:15-20

"Dura é essa palavra. Quem consegue ouvi-la? Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram!". Jo 6:60 e Mt 7:14



Dani Marques é colaboradora do Genizah
Fonte: http://www.genizahvirtual.com/

A árvore morta




Num inverno, quando eu ainda era criança, meu pai estava precisando de lenha. Procurou uma árvore morta e a cortou.
Mas, quando chegou a primavera, viu que no tronco daquela árvore que tinha cortado, nasciam novos brotos. Meu pai ficou desolado.
Então ele disse:
- Tinha certeza de que aquela árvore estava morta. Perdera todas as folhas no inverno e fazia tanto frio que os galhos quebraram e caíram no chão, como se o velho tronco tivesse ficado sem vida. Mas agora percebo que ainda existia vida naquele tronco.
Depois voltou-se para mim e aconselhou-me:
- Não esqueça esta lição. Nunca corte uma árvore no inverno. Não tome uma decisão negativa no tempo adverso. Nunca tome decisões importantes quando se sentir desanimado, deprimido e com o espírito abatido. Espere. Seja paciente. A tormenta passará. Lembre-se: a primavera voltará!
Autor desconhecido
Envia ada por: Edeli Arnaldi

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Como uma folha


Quando criança, por causa de meu caráter impulsivo, ficava com raiva na menor provocação.
Na maioria das vezes, depois de um desses incidentes me sentia envergonhado e me esforçava por consolar a quem tinha magoado.
Um dia, meu professor me viu pedindo desculpas depois de uma explosão de raiva, me entregou uma folha de papel lisa e me disse: - amasse-a!
Com medo, obedeci e fiz com ela uma bolinha.
- Agora - voltou a dizer-me - deixe-a como estava antes.
É óbvio que não pude deixá-la como antes. Por mais que tentasse, o papel ficou cheio de pregas. Então, disse-me o professor:
- O coração das pessoas é como esse papel... a impressão que neles deixamos será tão difícil de apagar como esses amassados.
Assim aprendi a ser mais compreensivo e mais paciente. Quando sinto vontade de estourar, lembro da folha de papel amassada.

O PROPÓSITO DE DANIEL -


O livro do profeta Daniel começa pela narrativa de uma situação terrível: Nabucodonozor conquistou Jerusalém e levou uma parte dos judeus para o exílio na Babilônia. Daniel estava entre os prisioneiros. Era um momento difícil em sua vida. Foi separado de sua família e levado cativo sem merecer. O cativeiro era uma questão nacional e não pessoal. O povo de Deus foi derrotado e os ímpios prevaleceram. Quem poderia entender tal situação? 
Qual seria a reação daquele moço diante de tamanha adversidade? Ele poderia se revoltar contra Deus, tornando-se um questionador amargurado. Poderia ainda adotar uma postura de vingança contra o rei da Babilônia, a quem deveria servir. Outra decisão possível seria a de aproveitar os atrativos da capital do império, que deveriam ser muitos. 
Nós também podemos enfrentar situações muito difíceis na vida, com ou sem merecimento. Quantos servos de Deus se encontram em tribulações, sofrendo perdas e dores. Diante de tudo isso, qual será a nossa reação? 
Daniel escolheu uma vida de fidelidade ao Senhor, apesar de todas as circunstâncias, como está escrito: "Daniel, porém, propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia" (Dn.1.8). 
Aquele jovem estabeleceu um firme propósito de santificação. Onde já se viu um prisioneiro recusar a comida do rei? Certamente, aquela mesa continha alimentos considerados imundos perante a lei de Moisés. 
Todo servo de Deus precisa ter bons propósitos em sua vida. Um propósito não é apenas uma decisão referente a um fato isolado, mas um alvo com diversos fatos em seu caminho. Quem não tem um propósito poderá ser movido e levado pelos ventos. O propósito é como um motor que leva o barco, com força e velocidade rumo ao destino escolhido. 
Daniel deixou belas lições para os cristãos, principalmente para os jovens. Por exemplo, o cristão solteiro deveria determinar em seu coração jamais casar-se com uma mulher ímpia. O cristão que é virgem deveria determinar manter seu estado até o casamento ou até a morte. 
Alguns ficarão escandalizados com tais afirmações, mas, afinal de contas, o cristianismo não é uma brincadeira. Se não tivermos propósitos firmes, seremos levados pelos ventos do mundanismo que podem conduzir ao inferno. 
Daniel e seus 3 amigos escolheram o caminho da renúncia (Dn.1.17) e Deus lhes abençoou de modo maravilhoso e sobrenatural (Dn.1.17), concedendo-lhes dons de inteligência, sabedoria, conhecimento, interpretação de sonhos e visões. 
O servo de Deus que renuncia aos atrativos do mundo jamais ficará no prejuízo. Deus dá o que Nabucodonozor não pode dar e, sobretudo, nunca poderá tirar. 
Foi depois disto que Daniel tornou-se um dos maiores profetas de todos os tempos. A segunda metade do seu livro é o "Apocalipse" do Antigo Testamento. Deus lhe deu a revelação do retorno dos judeus à sua terra. Ele viu também cenas dos últimos dias e teve a revelação da vida eterna (Dn.12.2), mas o mais importante: Daniel viu o Senhor Jesus descendo sobre as nuvens (Dn.7.13). 
O profeta estava na Babilônia, mas sabia que aquele não era o seu lugar. Por isso, vivia como um servo de Deus, um cidadão dos céus. Nós também, estamos neste mundo, mas sabemos que não somos daqui. Precisamos ter, portanto, propósitos celestiais. Se tirarmos os olhos da comida podre do pecado, também veremos o Senhor Jesus descendo do céu para nos buscar. Este é o resultado de uma vida de fé e fidelidade. 

Pr.Anísio Renato de Andrade 
www.anisiorenato.com