quinta-feira, 21 de junho de 2012

MASCARAS (RETIRANDO O VÉU)



“o qual também nos fez idôneos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; pois a letra mata, mas o espírito vivifica. Se, porém, o ministério da morte, escrito, e gravado em pedras, se revestiu de tanta glória, que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos no rosto de Moisés em razão da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo, como não será mais glorioso o ministério do espírito?  Se o ministério da condenação era glória, muito mais excede em glória o ministério da justiça. Na verdade, o que foi feito glorioso, não o é neste respeito, por causa da glória mais excelente. Pois se aquilo que se desvanece era glorioso, muito mais glorioso é o que permanece. Tendo, então, tal esperança, usamos de grande franqueza, e não somos como Moisés, que punha um véu sobre o seu rosto, para que os filhos de Israel não fixassem os olhos no final daquilo que se desvanecia. Mas as suas mentes foram endurecidas. Pois até o dia de hoje, na leitura da antiga aliança, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em Cristo é ele tirado. Contudo até o dia de hoje, sempre que lêem a Moisés, está posto um véu sobre o coração deles;  todas as vezes, porém, que algum deles se converter ao Senhor, o véu lhe é tirado. Ora o Senhor é o Espírito; e onde há o Espírito do Senhor, aí há liberdade". (2Co 3:6 – 17)

Quem verdadeiramente somos? Quais nossas atitudes diante das dificuldades e desafios? O que passamos para os outros? Mantemos a mesma postura em todo tempo?
Um texto que ilustra bem o engano que sofremos e muitas vezes também passamos:
“ Neste mundo de disfarces e máscaras, o mais puro torna-se confuso e fica difícil distinguir o real do trivial, o banal do essencial. Às vezes uma zanga é mais honesta que um sorriso difarçado de mentira, uma palavra dura é mais sincera que um carinho ficticio que se dissolve na rotina da vida. Às vezes não damos valor a honestidade das pessoas que ainda mantêm averdade, nos deixamos levar pelos que dizem os outros, fica mais fácil de acreditar nas pessoas com disfarces. E no fim, quando já ninguém tiver um disfarce, quando apenas fique sua vontade de amar, talvez você se veja sozinho, repousando os dias de sua vida em que encontrou o amor e o deixou passar, em que encontrou a lealdade e não soube valorizar, porque era mas simples flutuar que arriscar de verdade, que se entregar até o final. Não deixe que enganem você, observe com muita atenção depois de simplismente olhar”.
Livro da Dulce María

 O Apóstolo Paulo traz a luz dos crentes em Corintios, o ministério da Nova Aliança, fazendo uma comparação com o véu utilizado por Moisés cobrindo o rosto para que o povo não visse seu rosto resplandecer e mesmo ao passar o brilho não o tirava, deixando uma impressão de glória permanente e que no final não passa  de disfarces.

Quando falamos de véu e mascaras, falamos de disfarces algo que impossibilita as pessoas de saberem quem verdadeiramente somos, nos levando a esconder nossos sentimentos, personalidades e desejos. Todos temos uma identidade a ser revelada em Cristo Jesus deixando cair o véu e recebendo o brilho constante que vem do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o véu que cai com a Nova Aliança “Ora o Senhor é o Espírito; e onde há o Espírito do Senhor, aí há liberdade”. Liberdade que é dada por cada um de nós.

O cristão é observado em todo tempo, quer seja por irmãos ou por ímpios o livro de Hebreus fala da “grande nuvem de testemunhas”, que não são os que nos olham sim os que morreram dando testemunho de sua fé em Deus, mas podemos colocar os que hoje estão ao nosso redor esperando um erro uma falha para nos apontar, e é diante dessa necessidade que precisamos deixar cair alguns véus e mascaras.

O primeiro véu que precisamos deixar cair é o:
ORGULHO: O orgulho impede que reconheçamos a necessidade de transformação
Outro véu a ser derrubado é a:
HIPOCRISIA: Impede o quebrantamento verdadeiro
Outro véu é a:
INCREDULIDADE: Faz com que o homem duvide de si mesmo e o pior duvide de Deus, a boca não fala do que o coração esta cheio
O véu do:
MEDO: Que impede de agir com ousadia alcançando altos voos e grandes vitórias.
O véu da:
SOBERBA: levando o homem a auto suficiência achando que ele é o cara e deixando a dependência de Deus em áreas de sua vida.
E um dos mais sérios nos dias de hoje:
AUTO PIEDADE: Pessoas que estão se enchendo das migalhas enquanto Deus tem um banquete preparado, não dão a liberdade que o Espirito Santo precisa para transforma-los por completo, tem tudo mas acham que não tem nada.

Listei algumas coisas e sei que temos muito mais será que há em sua vida algum véu para cair nesse dia se tem liste-o, apresente diante de Deus em oração, tenha atitudes para vencer a necessidade de coloca-lo novamente em sua vida.
E caminhe para uma vida vitoriosa cheia do Espírito Santo, realizando a vontade de Deus.
                                                                                                               Pastor Sebastião Luiz Chagas