domingo, 29 de abril de 2012

MENSAGEM MINISTRADA NO DOMINGO


Deus  Fiel Guarda dos Homens
Texto: Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra. Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não dormitará. Eis que não dormitará nem dormirá aquele que guarda a Israel. O Senhor é quem te guarda; o Senhor é a tua sombra à tua mão direita. De dia o sol não te ferirá, nem a lua de noite. O Senhor te guardará de todo o mal; ele guardará a tua vida. O Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre.
                                                                                                                                            Salmo 121

Introdução: Cântico Salmo 121

Elucidação: Os cânticos de romagem eram hinos cantados pelo povo de Israel no período de peregrinação anual em que o judeu se reunia em Jerusalém em um período de festividades, hinos que exaltavam o nome de Deus.
O inicio do salmo mostra “Elevo os meus olhos para os montes”, mostra a grande relação do povo com os montes e recordando de alguns fatos bíblicos podemos lembrar
a)      A Arca de Noé terminou o período do Dilúvio SOBRE O MONTE ARARATE (Gn. 8)
b)      Abraão ofereceu Isaque no MONTE MORIÁ. (Gn. 22)
c)       Moises, Arão e Ur intercedem por Josué de um MONTE na batalha contra os Amalequitas ( Ex. 17)
d)      Moises recebeu as taboas da lei MONTE SINAI (Ex.19)
e)      Maldições e bênçãos foram proferidos de dois monte, MONTE EBAL e GERAZIM (Dt. 27)
f)       O profeta Elias trava uma grande batalha no MONTE HOREBE (1 Reis 18)
g)      O grande sermão ministrado por Jesus no MONTE DAS OLIVEIRAS, que nossas bíblias trazem como tema SERMÃO DO MONTE.

E com toda essa história de bênçãos e vitorias alcançadas nos montes de Israel o Salmista deixa claro “O MEU SOCORRO VEM DO SENHOR”, não é o local e sim quem criou o local o Deus que fez os céus e a terra.

O apóstolo Paulo diante dos Atenienses que tinham um memorial ao “DEUS DESCONHECIDO”, e Paulo os apresenta  esse Deus:  Atos 17: 23-24 “porque, passando eu e observando os objetos do vosso culto, encontrei também um altar em que estava escrito: AO DEUS DESCONHECIDO. Esse, pois, que vós honrais sem o conhecer, é o que vos anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em templos feitos por mãos de homens”;

Para quem estamos direcionando o nosso pedido de socorro, a quem clamamos em quem estamos depositando nossa confiança Salmos 20:7 “uns confiam em carros outros em cavalos; nós porem nos gloriamos em o nome do Senhor Nosso Deus”.
Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não dormitará. Eis que não dormitará nem dormirá aquele que guarda a Israel.

O mundo (a vida) é um terreno acidentado, cheio de altos e baixos, depressões ao longo do caminho e há momentos que escorregamos, tropeçamos e o salmista mostra a ação de Deus em meio a longa caminhada que temos a seguir, durante 24 horas o Senhor cuida de nós, o profeta Elias em 1Reis 18:27, escarnecendo os profetas de Baal chama o Deus deles de dorminhoco por não estar respondendo a suplica deles, mas o nosso Deus não dorme e nem dormira e vela por nós. Aleluia!     

E o salmista termina o hino revelando de que forma somos guardados pelo Senhor, de uma forma plena e completa, de todos os lados e em todos os sentidos e nos recorda de como Deus guardou o povo de Israel no deserto, durante o dia uma coluna de nuvens para vencerem o calor do deserto e durante a noite uma coluna de fogo para vencer o frio do deserto, revelando o quanto Deus os guardou saindo do Egito até sua entrada em Canaã, fechando com uma promessa de proteção eterna.

Conclusão: A mesma promessa encontra-se viva em Jesus Cristo sobre o guardar e proteger desde a entrada no Reino fazendo parte do seu povo até a entrada no céu de glórias preparados para seus Santos “não te deixarei nem te desampararei”. Então amados entregue sua vida e confie em todo tempo no Senhor

sexta-feira, 27 de abril de 2012

FIM DOS TEMPOS


Convertido aos 14 anos a uma igreja evangélica, o carioca Marcos Gladstone, de 36 anos, hoje gay assumido, sempre acreditou que seria "recuperado" da atração que sentia por homens. Durante quatro anos, ficou noivo de uma mulher, mas pouco antes de se casar, decidiu revelar à família dela sobre sua orientação sexual.
"Não sentia amor pela minha noiva; apenas amizade. Quando disse à família dela que era gay, a fofoca se espalhou rapidamente. Ela chegou a ficar três dias sem comer", recorda.
Vítima de preconceito, Gladstone resolveu fundar em 2006, junto com seu parceiro, Fábio Inácio, de 31 anos, a "Igreja Cristã Contemporânea", pregando "um discurso de tolerância" e voltada predominantemente para o público gay.
No início, contavam apenas com cinco membros. Hoje, a igreja já tem 1,2 mil fiéis e seis filiais espalhadas pelo Brasil, além da sede no Rio de Janeiro.

Festas temáticas

Uma das formas encontradas pelas igrejas inclusivas para atrair novos fiéis e integrá-los aos membros antigos é promover festas temáticas. Na igreja 'Comunidade Cidade de Refúgio', fundada por Lanna Holder - ex-missionária da igreja evangélica Assembleia de Deus que acabou expulsa por ser lésbica - são comuns as baladas gospel, realizadas uma vez por mês.
Na festa, chamada de "EletroGospel", bebidas alcoólicas não são permitidas. "O objetivo é que todos se divirtam com moderação. Somos cristãos e, portanto, contra qualquer promiscuidade", afirmou Lanna.
Já na 'Igreja Cristã Contemporânea', os fiéis são convidados a participar de retiros espirituais, que ocorrem durante o Carnaval.
Segundo Gladstone, a igreja recebe centenas de e-mails por dia de gays que têm medo de "sair do armário". "Nosso trabalho é de aconselhamento. É muito importante que um jovem homossexual não se sinta sozinho mesmo quando a família não aceita sua orientação sexual."

I CORÍNTIOS 06:9 
Não sabeis que os injustos não herdarão o reino de Deus? Não vos enganeis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,

A palavra de Deus é clara quando fala de criação Deus criou homem e mulher, para que unidos sejam um, mas o diabo e o próprio homem tem distorcido a palavra e confundido o amor de Deus pelo pecador com tolerância ao pecado, o homem não torna-se uma só carne com outro homem, nem uma mulher com outra mulher,  Sodoma e Gomorra foram cidades destruídas por tornaram-se capitais do pecado do V.T., estamos nos ultimos dias em que pseudo evangélicos tem surgido para confundir se possível os eleitos, opções sexuais em 90% dos casos são comportamentais é decisão, a pessoa escolheu e por ser uma decisão pode ser mudado.
Um amigo certa vez disse que eu era preconceituoso e que ele não tinha problemas com a decisão que cada escolhe, então fiz a seguinte suposição, imagine daqui a dois anos sua filha chega em casa apresentar uma outra moça dizendo ser sua namorada, ele não permitiu nem que eu completasse a minha palavra logo ele disse "Aí não!", geralmente é aceito na casa dos outros na nossa não.
Escutei que a igreja não esta preparada para receber o homossexual e é uma verdade pois a igreja é uma extensão do céu na terra e quero ser enfático "O CÉU NÃO ESTÁ PREPARADO PARA RECEBER O HOMOSSEXUAL", a igreja e o céu não esta preparada se ele quiser continuar sendo homossexual´pois se quiser transformação a igreja é este lugar, "igreja em que se prega toda a palavra e não só a porção que agrada", ou o pecador recebe a transformação real e verdadeira ou será conduzido aos passos largos para o inferno.     
Que podemos dizer "MARANATA VEM SENHOR JESUS"

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O Que Podemos Aprender no Vale de Ossos Secos


Texto:  Ezequiel 37.1-14

A mão de Jeová veio sobre mim, e ele me levou para fora no espírito de Jeová, e me pôs no meio do vale, que estava cheio de ossos; e fez-me passar por toda a roda deles. Eis que havia muitíssimos sobre a face do vale; e eis que estavam em extremo secos. Ele me perguntou: Filho do homem, acaso podem estes ossos reviver? Respondi: Senhor Jeová, tu sabes. Disse-me mais: Profetiza sobre estes ossos, e dize-lhes: Ossos secos, ouvi a palavra de Jeová. Assim diz o Senhor Jeová a estes ossos: Eis que vou fazer entrar em vós o fôlego, e vivereis. Porei sobre vós nervos, e farei crescer carnes sobre vós, porei em vós o fôlego, e vivereis; sabereis que eu sou Jeová. Assim profetizei, como fui ordenado. Enquanto eu profetizava, houve um estrondo, e eis que se fez um terremoto, e os ossos se achegaram osso ao seu osso. Olhei, e eis que estavam nervos sobre eles, e cresceram as carnes, e a pele os cobriu por cima; porém não havia neles fôlego. Então ele disse-me: Profetiza ao vento, profetiza, filho do homem, e dize ao vento: Assim diz o Senhor Jeová: Vem, ó fôlego, dos quatro ventos, e assopra sobre estes mortos, para que vivam. Assim profetizei, como ele me ordenou, o fôlego entrou neles, e viveram, e se levantaram sobre os seus pés, um exército grande em extremo. Então me disse: Filho do homem, estes ossos são toda a casa de Israel. Eis que dizem: Os nossos ossos secaram-se, e está perdida a nossa esperança. Somos inteiramente exterminados. Portanto profetiza, e dize-lhes: Assim diz o Senhor Jeová: Eis que vou abrir as vossas sepulturas, e vos farei subir das vossas sepulturas, ó povo meu; e vos introduzirei na terra de Israel. Sabereis que eu sou Jeová quando eu tiver aberto as vossas sepulturas, e vos tiver feito subir das vossas sepulturas, ó povo meu. Porei em vós o meu espírito, e vivereis, e vos meterei na vossa terra. Sabereis que eu Jeová o falei, e o cumpri, diz Jeová.

Introdução

•O contexto é de desolação. O povo está no exílio.
•Ezequiel 20: 32 diz que eles não criam mais em Deus.
•Ezequiel 37:11 e Ezequiel 37: 2. Ossos, não apenas secos, sequíssimos.

  • Nosso Deus é o Deus da esperança.

•Diante das pressões do mundo, vem o desânimo.
•Vale a pena ser um crente? Nos sentimos como ossos secos.
•Em Deus está toda a nossa esperança.
•Ezequiel 37:1 - 2. "Veio sobre mim a mão do Senhor".

  • Nosso Deus é o Deus do impossível.

•Ezequiel 37:3. Poderão viver esses ossos?
•Ilustração: Gênesis 18:14. Existe coisa difícil ao Senhor?
•A resposta humana à pergunta de Deus é não.
•A resposta do profeta: "Tu o sabes Senhor". É uma resposta de um homem de Deus.

  • Nosso Deus é o Deus que vivifica.

•Ezequiel 37: 6 "...e poreis o espírito e vivereis "
•Ilustração. Livro: Esgotamento Espiritual. Nós é que ficamos esgotados. Deus jamais.
•Para a frieza, o desânimo, o remédio é uma ação do Espírito Santo.

  • Nosso Deus fala e cumpre.

•Ezequiel 37:14b. "Eu o Senhor disse e fiz"
•Ezequiel 12:25. A mesma palavra.
•Isaías 43: 13 "... operando eu, quem impedirá?
•Só ele tem o poder para cumprir o que fala.

Conclusão

•Deus da esperança. Deus do impossível. Deus que vivifica. Deus que fala e cumpre.
•Vamos deixar este Deus, o único Deus, ser o nosso Deus.

http://www.estudosgospel.com.br

segunda-feira, 23 de abril de 2012

SALMOS 139:









Jacira Cordeiro


SALMOS 139:

1 Senhor, tu me sondas, e me conheces. 2 Tu conheces o meu sentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. 3 Esquadrinhas o meu andar, e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos. 4 Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. 5 Tu me cercaste em volta, e puseste sobre mim a tua mão. 6 Tal conhecimento é maravilhoso demais para mim; elevado é, não o posso atingir. 7 Para onde me irei do teu Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? 8 Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também. 9 Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10 ainda ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se eu disser: Ocultem-me as trevas; torne-se em noite a luz que me circunda; 12 nem ainda as trevas são escuras para ti, mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa. 13 Pois tu formaste os meus rins; entreteceste-me no ventre de minha mãe. 14 Eu te louvarei, porque de um modo tão admirável e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. 15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado, e esmeradamente tecido nas profundezas da terra. 16 Os teus olhos viram a minha substância ainda informe, e no teu livro foram escritos os dias, sim, todos os dias que foram ordenados para mim, quando ainda não havia nem um deles. 17 E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles! 18 Se eu os contasse, seriam mais numerosos do que a areia; quando acordo ainda estou contigo.19 Oxalá que matasses o perverso, ó Deus, e que os homens sanguinários se apartassem de mim, 20 homens que se rebelam contra ti, e contra ti se levantam para o mal. 21 Não odeio eu, ó Senhor, aqueles que te odeiam? e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? 22 Odeio-os com ódio completo; tenho-os por inimigos. 23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; 24 vê se há em mim algum caminho perverso, e guia-me pelo caminho eterno.

domingo, 22 de abril de 2012

Reflexão


“Pastores evangélicos criam sindicato e cobram direitos trabalhistas das Igrejas".

Esse, o título da matéria, chocante, publicada pela revista Veja, de 9 de junho de 1999, anunciando formação do Sindicato dos Pastores Evangélicos no Brasil. Foi a gota d'água! Ao ler a matéria acima finalmente me dei conta de que o termo "evangélico" perdeu, por completo, seu conteúdo original. Ser evangélico, pelo menos no Brasil, não significa mais, ser praticante e pregador do Evangelho (boas novas) de Jesus Cristo, mas, a condição de membro de um seguimento do Cristianismo, com cada vez menor relacionamento histórico com a Reforma Protestante - o seguimento mais complicado, controverso, dividido e contraditório do Cristianismo. O significado de ser pastor evangélico, então, é melhor nem falar, para não incorrer no risco de ser grosseiro. Não quero mais ser evangélico! Quero voltar para Jesus Cristo, para a boa notícia que Ele é, e ensinou. Voltemos a ser adoradores do Pai, porque, segundo Jesus, são estes os que o Pai procura e, não, por mão de obra especializada ou por profissionais da fé. Voltemos à consciência de que o caminho, a verdade e a vida é uma pessoa e não um corpo de doutrinas e/ou tradições, nascidas da tentativa de dissecarmos Deus; de que, estar no caminho, conhecer a verdade e desfrutar a vida é relacionar-se intensamente com essa pessoa: Jesus de Nazaré, o Cristo, o Filho do Deus vivo. Quero os dogmas que nascem desse encontro; uma leitura bíblica que nos faça ver Jesus Cristo e não uma leitura bibliólatra Não quero a espiritualidade que se sustenta em prodígios, no mínimo discutíveis, e sim, a que se manifesta no caráter. Chega dessa "diabose"! Voltemos à graça, à centralidade da cruz, onde tudo foi consumado. Voltemos à consciência de que fomos achados por Ele, que começou em cada filho Seu algo que vai completar; voltemos às orações e jejuns, não como fruto de obrigação ou moeda de troca, mas, como namoro apaixonado com o Ser amado da alma resgatada. Voltemos ao amor, à convicção de que, ser cristão, é amar a Deus acima de todas as coisas e, ao próximo, como a nós mesmos; voltemos aos irmãos, não como membros de um sindicato, de um clube, ou de uma sociedade anônima, mas, como membros do corpo de Cristo. Quero relacionar-me com eles como as crianças relacionam-se com os que as alimentam, em profundo amor e senso de dependência, quero voltar a ser guardião de meu irmão e não seu juiz. Voltemos ao amor que agasalha no frio, assiste na dor, dessedenta na sede, alimenta na fome, que reparte, que não usa o pronome "meu", mas, o pronome "nosso". Para que os títulos: pastor, reverendo, bispo, apóstolo, o que estes significam se todos são sacerdotes? Quero voltar a ser leigo. Para que o clericalismo? Voltemos ao sermos servos uns dos outros; aos dons do corpo que correm soltos e dão o tom litúrgico da reunião dos santos; ao, "onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu lá estarei" de Mateus 18.20.
Que o culto seja do povo e não dos dirigentes - chega de show! Voltemos aos presbíteros e diáconos, não como títulos, mas, como função: os que, sob unção da igreja local, cuidam da ministração da Palavra, da vida de oração da comunidade e para que ninguém tenha necessidade, seja material, espiritual ou social. Chega de ministérios megalômanos onde o povo de Deus é mão de obra ou massa de manobra! Para que os templos, o institucionalismo, o denominacionalismo? Voltemos às catacumbas, à igreja local. Por que o pulpitocentrismo? Voltemos ao "ïnstruí-vos uns aos outros" (Cl 3. 16). Por que a pressão pelo crescimento? Jesus Cristo não nos ordenou ser uma Igreja que cresce, mas, uma Igreja que aparece: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus."(Mt 5.16). Vamos anunciar com nossa vida, serviço e palavras "todo o Evangelho ao homem... a todos os homens". Deixemos o crescimento para o Espírito Santo que "acrescenta dia a dia os que haverão de ser salvos", sem adulterar a mensagem. Chega dos herodianos que vivem a namorar o poder, a vender a si e as ovelhas ao sistema corrupto e corruptor; voltemos à escola dos profetas que denunciam a injustiça e apresentam modelos de vida comunitária. Chega do corporativismo, onde todo mundo sabe o que acontece, mas, ninguém faz nada; voltemos ao confronto, como o de Paulo a Pedro (Gl 2.11), que dá oportunidade ao arrependimento e aperfeiçoa, como "o ferro afia o ferro." (Pv 27.17) Saiamos do "metodologismo". Voltemos a "ser como o vento, que sopra como quer, se ouve a sua voz mas não se sabe de onde vem e nem para onde vai" (Jo 3.8) Não quero mais ser evangélico, como o é entendido, hoje, neste país. Quero ser só cristão. Um cristão integral, segundo a Reforma e os pais da Igreja. Adorando ao Pai, em espírito e verdade, comungando, em busca da prática da unidade do "novo homem", criado por Cristo à Sua imagem (Ef 2.15), e praticando a missão integral.

Pr. Ariovaldo Ramos
e-mail enviado pelo Pastor Gerson M. martins 

FESTA DO ABRIGO PEDRA DE GUARATIBA

IMAGENS DO ALBÚM FESTA DO ABRIGO EVANGÉLICO DA PEDRA DE GUARATIBA - 21/04/2012 de Antônio Carlos Ramos.
Fonte: http://www.facebook.com/






sexta-feira, 20 de abril de 2012

O corpo de Cristo


Há algo a ser dito por consistência, mas também há algo a ser dito por variedade. Insistir exclusivamente em qualquer delas, em nosso estudo bíblico, levará a resultados desastrosos. Precisamos julgar pelo contexto, se o autor pretendia usar sua linguagem consistentemente ou criativamente.

Assim é com a figura do "corpo", que o Novo Testamento emprega como uma descrição da igreja. Enquanto muitos têm aceito que a figura sempre significa a mesma coisa, sejamos cuidadosos para observar as diferenças em seu uso e aplicação.

Uma relação entre cristãos
Por um lado, parece haver de fato uma consistência em como a imagem da igreja como "corpo" é usada para ilustrar e ressaltar certas características da relação que existe entre o povo de Deus:

Unidade. A figura do corpo é muito útil para descrever a "unidade na diversidade" que existe entre cristãos (Romanos 12:4-8; 1 Coríntios 10:17; 12:12-31; Efésios 2:16; 4:4; Colossenses 3:15). Assim como o corpo tem diferentes partes, assim também o grupo que pertence a Deus é composto de muitos tipos diferentes de pessoas: diferentes personalidades, capacidades, níveis de maturidade espiritual, formações. Entretanto, estas diferenças são insignificantes à luz da fé comum que partilhamos em Cristo. Nossa diversidade não força esta unidade espiritual nem um pouco, mas é realmente uma bênção, no que os cristãos são capazes de ajudar um ao outro de um modo complementar, em vez de todos serem exatamente idênticos.

Interdependência. A diversidade entre o povo de Deus ajuda a fortalecer o corpo através de seu trabalho complementar, porque todos do povo de Deus estão ligados um ao outro e são dependentes uns dos outros (Romanos 12:4-8; 1 Coríntios 12:12-31; Efésios 4:11-16; Colossenses 2:19). Como membros de um corpo estão entrelaçados entre si, entretecidos, e juntos em um todo unificado, assim também o povo de Deus é interligado. O funcionamento adequado, saudável, de cada parte é essencial à saúde geral do corpo. Nenhuma parte é insignificante, irrelevante ou dispensável. Os cristãos devem possuir uma consciência de tal dependência e necessidade uns dos outros. Na verdade, devemos ser tão interligados que os cuidados com outras pessoas são os nossos mesmos; choramos com os que choram e nos regozijamos com os que se regozijam.

Crescimento. Toda a unidade e interdependência do povo de Deus é destinada a levar a uma única meta: o crescimento espiritual (Efésios 2:21; 4:11-16; Colossenses 2:19). A figura de um corpo é perfeitamente adequada para salientar que o povo de Deus é um organismo que cresce, e não um objeto sem vida, estático, adormecido. O corpo é para sobreviver e ser saudável pelo labor adequado de cada parte individual, como cada parte faz a sua tarefa. Sendo equipados através do ensino, os santos têm que servir, e assim fazendo o corpo de Cristo é edificado.

Uma relação com Cristo
Por outro lado, há uma variedade na qual a figura do "corpo" é usada para descrever a relação que existe entre o povo de Deus e Cristo:
Cabeça. Há, naturalmente, as passagens familiares nas quais Cristo é chamado a cabeça do corpo, a igreja (Efésios 1:23; 4:16; 5:23; Colossenses 1:18; 2:19). Aqui, o corpo é claramente a parte inferior do todo, composto de tronco e membros, enquanto Cristo é a cabeça. Obviamente, isto significa o papel de Cristo como de autoridade. Ele é aquele que toma as decisões, cuja vontade tem que ser seguida. Mas observe como a imagem do corpo sugere que esta não deve ser uma atividade antagônica. Além do mais, nossos corpos físicos não lutam com a cabeça, não se opõem a sua vontade, nem contradizem suas ordens. As partes do corpo naturalmente agem de acordo com as determinações da cabeça para o bem estar do corpo inteiro. A cabeça é também o que confere uma certa unidade de propósito e direção, de modo que as partes estejam trabalhando em direção à mesma meta, em vez de se esquartejando e indo em direções diferentes.

Espírito. Há passagens, contudo, que usam a figura do corpo, mas que não retratam Cristo como a cabeça do corpo. Observe, por exemplo, que em 1 Coríntios 12, a cabeça é claramente uma das partes do corpo que representa o cristão comum (12:21), como também o são várias partes especificadas da cabeça, tais como o olho e o ouvido (12:16-17). Neste caso, que relação Cristo tem com o corpo, se não é sua cabeça? Bem, assim como um corpo físico, se está vivo, tem um espírito que habita esse corpo, dando-lhe vida e personalidade, assim também Jesus é o Espírito vivo que mora dentro do corpo de seu povo. Este mesmo ponto está implícito em Efésios 2:21, onde as figuras de corpo e edificação estão misturadas, falando de um templo crescente no qual Deus mora. Do mesmo modo, Efésios 4:4 emparelha um corpo e um Espírito, como se indicasse uma ligação particular. Finalmente, a afirmação de Paulo de que somos "um corpo em Cristo" (Romanos 12:5) pode se apoiar sobre esta mesma figura. Como tal, a figura do corpo indica ainda mais intimamente o grau em que devemos ser possuídos por Deus, participantes de sua divina natureza, quando ele mora e vive dentro de nós.

Que coisa maravilhosa é, na verdade, fazer parte do corpo de Cristo!

por Tom Hamilton

quarta-feira, 18 de abril de 2012

O conceito de CONTENTAMENTO.




Trecho do livro Alma Nua de Ivênio dos Santos
"Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as cousas que tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei nunca jamais te abandonarei. Assim, afirmemos confiantemente: O Senhor é o meu auxílio, não temerei; que me poderá fazer o homem?"
(Hb 13.5).

O autor de Hebreus está simplesmente dizendo que devemos deixar que o senhor seja, de fato, o nosso Deus. Não coloquemos nossa confiança no dinheiro, pois avareza é adoração a Mamom. O deus-dinheiro é muito atraente por dar-nos, aparentemente, a sensação de segurança quanto ao futuro. O que a Palavra de Deus está nos exortando a fazer é colocar nossa confiança total no Senhor e não nas posses materiais.
Tudo o que vier a se constituir em nossa fonte de segurança, de significado, ou de contentamento, torna-se o nosso deus. A Palavra, em Hb 13.5, está nos ordenando a deixar que Deus, Pai de
Nosso Senhor Jesus Cristo, seja, de fato, o nosso Deus. Através do profeta Jeremias, Ele fala a seu povo Israel: "Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai estupefatos, diz o Senhor. Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas"2.
Se Deus não for nossa fonte de contentamento, segurança e significado, estaremos sempre "cavando cisternas rotas" que não conseguem reter as águas, ou seja, estaremos sempre em busca de algo que preencha em nós essas necessidades básicas, e assim acabamos curvados em atração diante de outros altares.
Faça uma verificação em seu coração indagando com honestidade: "Quem é, de fato, o meu Deus? Em que altar tenho me curvado em real adoração? Em quê coloco a minha total confiança?
Onde está a minha fonte de genuíno contentamento? O que é que me dá significado para viver cada dia? Se eu tirasse Deus da minha vida o que mudaria?"

terça-feira, 17 de abril de 2012

O QUE É SUBMISSÃO?


Este vocábulo tornou-se pejorativo em nossa sociedade. Parece um "palavrão" que indica fraqueza e inferioridade. Vejamos, porém, um exemplo bíblico da verdadeira submissão: 
"Aonde quer que tu fores, irei eu; e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo será o meu povo, o teu Deus será o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu, e ali serei sepultada" (Rt. 1.16-17). Foram palavras de Rute para sua sogra quando ambas ficaram viúvas. 
O texto nos apresenta um exemplo de sujeição voluntária. Rute colocou as metas de Noemi como suas. Ela decidiu ficar, quando era livre para ir embora. Demonstrou apego, fé, confiança e, antes de tudo, amor, produzindo um compromisso forte, um vínculo definitivo. 
A melhor forma de submissão é aquela que acontece por amor e não pela força. Certamente, Noemi era uma pessoa amorosa, que tratava bem a sua nora. Assim, a submissão tornou-se um prazer e não um sacrifício. 
É importante ressaltar que Noemi não possuía coisa alguma para dar a Rute. Portanto, era um amor incondicional, sem interesses materiais. Na citada declaração, somente a pessoa de Deus estava definida, e nada mais. Não estava certo onde seria a pousada, como seria o povo, onde aconteceria a morte ou o local da sepultura. Muitas pessoas só se submetem quando têm todas as informações e todos os detalhes do que será feito. Rute sabia que podia confiar em Deus e na experiência da sogra para conduzir sua vida. A submissão é uma atitude que produz atos de obediência. Na sequência do relato, Noemi orientou Rute em sua aproximação de Boaz, que viria a ser seu marido, tirando ambas da miséria em que viviam. 
Noemi tinha outra nora, chamada Orfa. Ela poderia também ter-se apegado à sua sogra, mas não o fez. Preferiu ir embora sozinha, voltar à sua terra e aos seus deuses (Rt1.14-15). Esta é a última informação que temos a seu respeito. Seu nome nunca mais foi mencionado no relato bíblico.
Rute, porém, casou-se com Boaz e teve um filho chamado Obede. Este gerou a Jessé, que o foi o pai do rei Davi. Daquela descendência, muitos séculos depois, nasceu o Senhor Jesus (Mt.1.1-5). Se a submissão fosse trocada pela independência, esta história não aconteceria ou, no mínimo, Deus escolheria outros personagens. 
A submissão cria vínculos necessários às grandes realizações. Cada um de nós, sozinho, nunca será capaz de fazer grandes coisas. Cada pessoa precisa de autonomia em algum nível, mas a independência plena conduz à solidão e ao fracasso. 
"Busca o seu próprio desejo aquele que se separa; ele insurge-se contra a verdadeira sabedoria" (Pv.18.1).
Não vamos defender todo e qualquer tipo de sujeição, pois existem abusos e explorações neste mundo. Entretanto, não podemos ignorar o ensino bíblico sobre a submissão, pois a sua falta tem destruído vidas e famílias (Ef.5.22-25; Ef.6.1-9). 

Pr. Anísio Renato de Andrade.

sábado, 14 de abril de 2012

FÉ E PALAVRA


"A fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus" (Rm.10.17).

Qual seria a relação entre ouvir a palavra e crer? Sabemos que "a fé é a certeza das coisas que se esperam e a convicção dos fatos que não se vêem" (Heb.11.1). 
Esta passagem bíblica define a fé, seja boa ou má, pois há o risco de alguém crer em algo que espera, mas não virá, e algo que não vê porque não existe nem existirá. 

Crer por crer, muita gente crê, mas isto não significa que a fé dessas pessoas seja boa e útil. Em muitos casos é uma crença morta, incapaz de salvar, como nos ensinou Tiago (2.14,26). Precisamos, portanto, de uma garantia para a fé. Encontramos esta segurança apenas na palavra de Deus. Portanto, a fé gerada a partir desta Palavra é genuína. O resto é superstição, presunção ou suposição. Como disse Pedro, "sobre a tua palavra lançaremos as redes" (Lc.5.5). Isto é acreditar e fazer como Jesus mandou. 

Se esperamos algo que Deus prometeu, então, podemos esperar com certeza. É assim que ouvir a palavra alimenta a nossa fé. Não podemos crer naquilo que desconhecemos. O conhecimento vem antes da verdadeira fé. Não podemos acreditar em tudo e em todos. João escreveu "Não creiais a todo espírito" (IJo.4.1). 

Colocar a nossa fé em algo é como preencher um cheque. Antes disso, deve existir o conhecimento do emitente e do saldo, ou seja, de tudo o que Deus nos prometeu e garantiu. Tem gente por aí esperando riqueza material sem que Deus tenha lhes feito tal promessa. (Isso não impede que a pessoa trabalhe para crescer, mas esta já é outra história).

Aqueles que, mesmo possuindo uma bíblia, não a leem, estão se abstendo do alimento de sua fé. É possível que suas dúvidas cresçam e comecem a causar problemas. Eis um dos motivos pelos quais precisamos frequentar os cultos e, especialmente, as reuniões de estudo bíblico. O abandono da igreja pode ser o suicídio da fé. 

Quando Paulo diz que a fé vem pelo ouvir, ele está mostrando que a fonte da fé não pode ser o próprio indivíduo. Eu preciso ouvir, e não é ouvir qualquer coisa, mas a palavra de Deus. Se eu emprestar os meus ouvidos à heresia, é possível que ela venha gerar uma fé maligna no meu coração. Então, preciso ser seletivo, evitando as fontes sujas.

"Não escutes a todas as palavras que te disserem, para que não venhas a ouvir que o teu servo te amaldiçoa" (Ec.7.21).

Os sentidos físicos são as portas e janelas da alma. Precisamos ser cuidadosos com o que recebemos por meio deles. Por isto também está escrito: "As más conversações corrompem os bons costumes" (ICor.15.33). 

A audição costuma se antecipar em algumas situações em relação aos outros sentidos. O olho não viu, as mãos não tocaram, o nariz não sentiu, a boca não saboreou, mas o ouvido já ouviu. Assim aconteceu na tentação de Eva. O que foi ouvido pode afetar a alma e mudar o comportamento, para o bem ou para o mal. É assim que recebemos as influências que usam a música como veículo. 

No texto de Romanos 10, Paulo estava preocupado com a salvação, e não com resultados materiais alcançados pela fé. A salvação vem por intermédio da fé em Jesus, mas como creriam naquele do qual nada ouviram? E como ouviriam sem que houvesse pregação? E como haveria pregadores se não fossem enviados? Ele estava juntando elementos que nos levam a concluir pela importância do ministério evangelístico e das missões que devem ocupar lugar especial nos projetos e ações das igrejas cristãs. 

Pr.Anísio Renato de Andrade

quinta-feira, 12 de abril de 2012

A Batalha pela Família



A Batalha pela Família – I Samuel I:21-28
 
Resumo do tema
 
Somente os ingênuos imaginam que a vida com Jesus é “um mar de rosas”, que o fato de serem servos do Mestre impede que enfrentem lutas. Os crentes maduros sabem, e muito bem, que as batalhas acontecem sempre. O próprio Jesus disse que no mundo experimentaríamos aflições.
 
Só depois de criar o universo, a vegetação e os animais, Deus criou o homem e a mulher. O homem e a mulher são, portanto, o ápice da criação, o ponto alto, a coroa da criação de Deus. No seu soberano projeto, Deus fez o homem para a mulher, e a mulher para o homem, de forma que até fisicamente eles se encaixam, se completam. Deus capacitou o homem e a mulher, por meio de um relacionamento íntimo, a darem continuidade à sua criação. Que maravilhoso, que privilégio, gerar um novo ser, a partir de um relacionamento sexual.
 
O que é a família?
 
A família é uma idéia de Deus. A família é o semelhante humano da trindade. A família foi criada com o propósito de refletir a pessoa de Deus na terra. A família é sagrada. Não podemos aceitar o seu fim.
 
Podemos dizer, sem medo de errar, que o desejo do homem de ir na direção da mulher, e vice-versa, é espiritual. Esse movimento tem a marca da presença de Deus. É por isso que quando percebemos a sociedade descartando o casamento, sem a menor preocupação, temos que reconhecer que isso é conseqüência direta do distanciamento da humanidade em relação ao seu criador. É a falta de um relacionamento mais íntimo com Deus que tem levado homens e mulheres a desprezarem o casamento, procurando relacionamentos sem compromisso.
 
A batalha pela família é travada no “fogo amigo” do lar
 
Na história narrada no texto de I Samuel, encontramos um homem chamado Elcana que tinha duas mulheres: Ana e Penina. Diz a narrativa que Penina tinha filhos, ao contrário de Ana. Por causa dessa situação, Penina provocava Ana ao ponto de levá-la a perder a fome, de levá-la a tristeza e ao choro. Esse era o motivo de crise na família de Elcana. E na sua família, qual o motivo de confusão? As lutas internas de uma família, invariavelmente, geram frustrações. As comparações entre membros da família sempre produzem conflito. As crises internas são comuns nas famílias. Se não batalharmos pela manutenção da unidade familiar, poderemos experimentar grande tristeza.
 
A batalha pela família é humana, universal e solidária
 
Se na sua família há problemas, não se desespere; você não está sozinho. Os crentes maduros sabem que as batalhas sempre acontecem. A família é um dos alvos preferidos do inimigo.
 
No capítulo 2 de I Samuel vamos encontrar a história dos filhos de Eli. Sabemos que Eli era um sacerdote e que servia no templo. O fato de ser Eli um homem temente ao Senhor e sacerdote de Deus, não impediu que seus filhos fossem maus. No versículo 12 lemos que “Os filhos de Eli eram ímpios, não se importavam com o Senhor nem cumpriam os deveres de sacerdotes para com o povo”, e no versículo 22 lemos que “Eli, já bem idoso, ficou sabendo de tudo o que seus filhos faziam a todo Israel e que eles se deitavam com as mulheres que serviam junto à entrada da Tenda do Encontro”. Imagina como devia se sentir Eli diante dessa situação. A verdade é que não há qualquer garantia de que a família do cristão não vá experimentar problemas.
 
O sistema de organização social atual exige que as pessoas passem grande parte do seu tempo envolvidas com o trabalho. Percebemos, como conseqüência, que para a maioria isso afeta, diretamente, sua comunhão com Deus e com a família. Isso é diabólico porque, um homem longe de Deus e da sua família é uma pessoa completamente quebrada, vulnerável à ação de satanás. Você deve tomar cuidado com isso e não deve se deixar envolver pelo sistema. Estabeleça prioridades em sua vida. Separe tempo para manter comunhão com Deus e gaste tempo com sua família.
 
A batalha pela família pode ser vitoriosa com Deus no comando
 
Primeiro Deus. Deus precisa estar em primeiro lugar sempre. Na vida do homem, na vida da mulher, na vida da família. Não há como vencer a batalha pela família sem colocar Deus em primeiro lugar.
 
Não devemos nos deixar levar pelo padrão da sociedade. As mensagens veiculadas nos filmes e nas novelas de tv, assim como os conselhos dados nos consultórios de terapeutas não comprometidos com os princípios bíblicos, dizem que você merece ser feliz. E que para experimentar essa felicidade, vale tudo. Vale “encher a cara”, vale trair seu cônjuge, vale trapacear nos negócios, vale mentir para seus filhos etc. Em Romanos 12 o apóstolo Paulo nos adverte: “Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente”.
 
A oração pode nos colocar em contato direto com o Pai. Ele deseja ouvir nossas necessidades, muito embora já as conheça previamente. A igreja será forte na medida em que as famílias forem fortes. Não perca a batalha pela sua família. Reúna sua família para orar. Peça a Deus que os conservem unidos, como uma marca da presença de Deus no meio da sociedade.
 
Não confie na sua própria força para vencer a batalha pela família. Apresente diante de Deus suas necessidades e Ele, conforme a sua graça e misericórdia, fará você experimentar vitória. Em Pedro 5:6-7 lemos: “Portanto, humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês”. 
 
 
Perguntas para discussão em grupo
 
  1. Por que a batalha pela família é importante?
  2. Como seria a sociedade se não existissem famílias?
  3. Quando a sociedade descarta a idéia do casamento, reflete a presença de Deus? Comente.
  4. De exemplos de como satanás nos ataca, por meio da família.
  5. Como é possível vencer a batalha pela família?
 
Sugestão de atividade para o grupo (As atividades aqui propostas visam auxiliar o Líder de PG no preparo das reuniões. São apenas sugestões, que tem por objetivo ajudar os membros do grupo, de uma maneira mais lúdica, a refletir e a se dispor a mudanças de atitude e pensamento, com base no tema abordado no culto do domingo anterior, à luz da Palavra de Deus.)
 
Retrato de Família
 

Objetivo: Avaliar o relacionamento com cada membro da família.
Material necessário: Folhas em branco para cada membro do grupo e lápis de cor ou lápis preto.

Atividade: Desenhe um círculo no centro da folha com seu próprio nome dentro. Ao redor, desenhe outros círculos simbolizando os membros de sua família com quem convive mais (incluindo avós, tios, primos, cunhados...). Trace linhas ligando o seu nome a cada um dos familiares, de forma que mostre a qualidade e intensidade de seu relacionamento com cada um. Use linhas largas para simbolizar relacionamentos profundos, linhas finas, linhas coloridas, pontilhadas ou não use linhas se você não tiver relacionamento com esta pessoa.

Compartilhe seu “Retrato de família” com o grupo.

- Quais relacionamentos tem sido uma batalha para você?
- Quais destes relacionamentos precisam da intervenção de Deus?
- O que você pode fazer para melhorar este relacionamento?

Orem uns pelos outros, pelas famílias uns dos outros e abençoem-se mutuamente.
Eu e minha casa serviremos ao Senhor." (Josué 24:15)
 
Claudio Duarte e Milca Cruz
Núcleo Pastoreio

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Guerra Espiritual nas Regiões Celestiais — A Existência e Poder dos Anjos e dos Demônios


Não é possível entender a situação que enfrentamos neste fim dos tempos sem compreender antes o ensino bíblico básico sobre a guerra espiritual. Infelizmente, a igreja cristã não tem ensinado a esse respeito nos últimos cem anos. Todavia, os eventos atuais estão caminhando de acordo com as profecias bíblicas, e a guerra espiritual está sendo travada impiedosamente tanto no céu como na terra. Este artigo enfoca os ensinos bíblicos gerais sobre a existência dos anjos e dos demônios e as contínuas batalhas entre eles.
A Nova Ordem Mundial está chegando! Você está preparado?

Compreendendo o que realmente é essa Nova Ordem Mundial, e como está sendo implementada gradualmente, você poderá ver o progresso dela nas notícias do dia-a-dia!!
Aprenda a proteger a si mesmo e aos seus amados!
Após ler nossos artigos, você nunca mais verá as notícias da mesma forma.
Agora você está na
Um bom artigo do site ESPADA DO ESPIRITO que pode ser lido na integra em nossa pagina de Estudo click no link e conheça um pouco mais  sobre BATALHA NAS REGIÕES CELESTIAIS http://iecmarianatorres.blogspot.com.br/p/estudos_01.html

terça-feira, 10 de abril de 2012

Ultimo dia de Campanha de Oração "Por esta causa dobro meus joelhos".


Pastor Sebastião, Evangelista Genaida e Pastor Abraão
 Irmão Nonato testemunho de livramento de Deus
 Momento de Louvor
 Irmã Silvana testemunho da ação de Deus na vida do Cauã 
 irmã Cléia testemunho de benção alcançada

Zilanda, Jacke, Marcelinha e Junior 

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Pornografia, guerra espiritual na área sexual

Pornografia
Sexo. Sua presença está com a raça humana desde o início dos tempos, mas nem sempre se entendeu seu significado. Não foi criado de qualquer jeito e sem pensar, mas planejado para completar uma importante união. Tem o poder de criar e, se mal usado, pode devastar. É fonte de grande prazer ou total destruição. E para os homens, se tornou objeto de obsessão e exploração.
Lembra-se da profissão mais antiga do mundo? A prostituição sempre foi um problema comum. As antigas cidades de Sodoma e Gomorra representam o máximo da imoralidade sexual.
No entanto, o que acontece em nossa época é totalmente novo.
Antes da era das revistas pornográficas e da Internet, os homens tinham de ir a algum lugar para cometer pecados sexuais. No passado, o sexo ilícito acontecia de duas formas mais comuns: nas zonas de prostituição e nos casos de adultério. Era preciso muito esforço para praticar fantasias sexuais, pois não havia fotos de mulheres nuas ou de calcinha.
Mas hoje é diferente. Nunca antes foi como é agora.
Nunca antes existiu a oportunidade de alimentar e cultivar um vício secreto. Com a chegada da Internet, tudo mudou. O que antes estava longe e exigia esforço para alcançar, agora se pode experimentar com um simples clique do mouse. O sexo na Internet oferece de tudo: bate-papos sexuais ao vivo com parceiros do mundo inteiro, fotos e vídeos contendo imagens de corpos femininos, etc. A conseqüência é que os homens acabam se tornando consumidores descontrolados dessas ofertas.
Sem mencionar a TV e as revistas. Para todos os lugares onde olham, os homens se deparam com imagens de mulheres sedutoras. Até mesmo as super-heroínas mais "inocentes" dos programas de TV têm roupas bem curtas. Assim é que, como o gênio da lâmpada pronto para satisfazer aos desejos da imaginação de um homem, a Internet, as revistas e a TV rodeia os olhos e a mente masculina com imagens de nudez e sexo. Será que seria difícil imaginar a reação dos homens a esses convites? Anualmente, a indústria pornográfica lucra uns 20 bilhões de dólares.

A pornografia não é um problema?
Muitas vezes a pornografia é considerada um "crime sem vítimas". Há pessoas que acham que não há nada de mais em ver fotos e cenas de sexo ou de mulheres nuas. Mas no rastro desse vício há casamentos desfeitos, esposas inocentes abusadas emocional e fisicamente, meninas e moças estupradas e famílias financeiramente devastadas.

As estatísticas são de assombrar:
" As crianças, em média, são expostas à pornografia com a idade de 8 anos.
" 75 por cento dos estupradores condenados confessam que praticaram em suas vítimas as cenas que viram na pornografia.
" 80 por cento dos estupradores de crianças confessam que seu problema começou através da pornografia.
Então, quem é que poderia afirmar que a pornografia não prejudica ninguém? As vítimas desse vício são homens, cujas fantasias se tornaram desejos escravizantes. Elas são mulheres e crianças cujos corpos são usados como objetos descartáveis. Elas são as filhas que aprendem que o único modo de elas poderem receber amor é através do sexo e da sedução. Elas são as famílias que experimentam a destruição de sua segurança e auto-estima porque um pai ou filho não consegue mais ver as mulheres com dignidade e respeito, mas só como objetos de prazer. Enquanto se debate se a pornografia é prejudicial, a sociedade paga um alto preço com o aumento de casamentos desfeitos e crimes sexuais violentos.


Um problema que precisa ser tratado
Atualmente, até os profissionais da área de saúde mental reconhecem que uma conduta sexual compulsiva é vício sexual. Esse tipo de conduta torna o homem prisioneiro de desejos sexuais incontroláveis, da mesma maneira que um drogado ou alcoólatra não consegue viver sem a droga ou a bebida. Há as características comuns do vício: descontrole ansiedade, sensação de pressão para praticar o vício e muitas vezes indiferença para com as conseqüências adversas. O vício é um problema espiritual, moral e emocional. Os sintomas que aparecem na superfície apenas indicam que há uma ferida profunda na alma.

Entretanto, o vício sexual não nasce da noite para o dia.
Pode começar quando se adquire o hábito de ficar observando uma mulher bonita passar. O próximo passo é usar a mente para imaginar fantasias com mulheres. Depois que diminui o sentimento de culpa e o desejo de resistir à tentação visual, fica mais fácil observar fotos de mulheres de calcinha em revistas e catálogos de roupas femininas. Quando as emoções já não se satisfazem completamente com essas fotos, aí vem a vontade de ficar olhando as fotos que aparecem na Internet. A mente e o corpo começam a fazer viagens delirantes ao mundo proibido das mulheres nuas.
O viciado em pornografia sofre isolado, mas quem realmente colhe as conseqüências de seu pecado é sua família. Ainda que o homem consiga impedir seu hábito de se tornar uma obsessão, o tipo de homem que ele se torna é bem diferente do marido e pai ou filho que ele poderia ter sido. Ele tem dificuldade de se relacionar sentimentalmente com sua esposa. Além disso, ela não consegue competir com as mulheres de fantasia que parecem perfeitas e fazem qualquer coisa que ele exige. Não importa que ela se esforce, não importa que ela o ame e não importa até onde ela esteja disposta a ir para satisfazê-lo: nunca é o suficiente.
Em plena era da Internet, poucas igrejas estão preparadas para tratar do problema da pornografia fácil e instantânea e ajudar os homens. Raras vezes o assunto da pureza sexual ou da pornografia é mencionado do púlpito. Algumas igrejas estão confusas e não conseguem tomar uma posição firme diante da questão homossexual enquanto outras fazem de conta que não estão vendo os casos de adultério em seu meio. Que tipo de mensagem essa situação transmite para os jovens? Já que muitos não mais acreditam na degradação do pecado ou na realidade do céu e do inferno, o que poderia impedir um evangélico de gozar os prazeres da pornografia na Internet?
Podemos tentar tratar das feridas dos pecados sexuais, mas os traumas profundos das vítimas e dos viciados só poderão ser curados de uma forma: na alma, pelo Dr. Jesus Cristo.

É hora de enfrentar o problema com seriedade
Os homens cristãos foram chamados e escolhidos por Deus para abençoar suas famílias e comunidades. Eles são pastores e líderes leigos que têm a responsabilidade de liderar, amar, sustentar e proteger suas famílias e proclamar o Evangelho e discipular as pessoas. Eles são guerreiros, protetores e instrumentos de Deus na sociedade.
Entretanto, os homens cristãos estão sendo alvos de um atirador frio e calculista cujo único objetivo é aniquilar a alma dos homens. Esse inimigo conhece bem as fraquezas masculinas. Derrubar os homens cristãos é o jeito que ele encontrou para agredir as igrejas cristãs.

Por isso, precisamos adotar medidas contra seus ataques.
Homens, quando surge uma fantasia sexual, não podemos acompanhá-la. Se entregarmos a mente só um minuto, teremos mais dificuldades para vencer quando outras fantasias aparecerem. Se seu problema são as revistas, fique longe das bancas de jornal. Se for a Internet ou a TV por assinatura, desconecte-se. Se os catálogos de roupas femininas da sua esposa são uma tentação para você, converse com ela e peça-lhe que cancele sua assinatura. O que estou querendo dizer é que é preciso tomar a decisão de parar antes que se perca o controle. Faça como José: Fuja da tentação sexual (Gênesis 39:10-12). Se você sente que já está além de suas forças, há pessoas que podem ajudar.
Mulheres é hora de despertar. Vocês precisam compreender as dificuldades que seus maridos e filhos têm para proteger a mente e mantê-la pura. Vocês precisam entender que cenas e imagens têm um impacto muito forte na mente masculina. Acima de tudo, vocês precisam ver que nós precisamos da ajuda de vocês.
Igrejas, não subestimem o crescimento do pecado. Apesar disso, devemos ter atitudes de humildade e esperança, em vez de medo e crítica. É preciso ajudar os irmãos que estão enfrentando lutas. É preciso transmitir a segurança e a vitória de Cristo e acompanhar os irmãos que se sentem fracassados e atormentados. Há a necessidade de os irmãos criarem grupos ou amizades dentro da igreja, onde eles possam prestar contas e ser auxiliados.
Contudo, ao enfrentar o problema da pornografia, não deveríamos pensar que somos melhores do que os outros. Sabemos que a graça de Cristo é oferecida a todas as pessoas, até mesmo para quem está envolvido em perversões sexuais.
Que essa graça nos dê a capacidade de ver o pecado como pecado e poder para ministrar para os que estão sofrendo feridas na alma.

PASSOS PARA A RECUPERAÇÃO
Há esperança para quem quer ajuda.
1. O primeiro passo é você confessar que tem um problema. Sua determinação de parar com suas próprias forças não vai funcionar. Provavelmente, você já tentou muitas vezes antes. Você precisa conversar com alguém de confiança.
2. O passo seguinte é pedir a ajuda de alguém que é mais forte do que você. Sua própria força nunca é suficiente. Não importa os tipos de atividade sexual em que você esteve envolvido. Ainda que você tenha praticado pecados pervertidos, o Deus que te criou ama você profundamente. Ele demonstrou seu amor incondicional e perdão por nós enviando seu próprio Filho, Jesus Cristo, para ser castigado por todos os nossos pensamentos e ações repugnantes. Crer no poder curador do amor de Cristo é a maneira mais eficaz de vencer o sentimento de vergonha que você tem tido na sua vida.
3. Em seguida você deve lidar com a solidão em sua vida. A chave é procurar relacionamentos saudáveis. De modo especial, você precisa formar relacionamentos com homens a quem você possa prestar contas. Você precisará da ajuda de outros homens para deter sua atividade sexual errada. Grupos de apoio poderiam ser a solução para você. Você também vai precisar de apoio espiritual. Para você sentir ânimo em seu relacionamento com Deus você precisa fazer amizades com pessoas que têm os mesmo alvos espirituais que você.
4. Você também precisará trabalhar seu relacionamento com sua família e amigos íntimos. Amizade íntima com eles pode ser um desafio real para você. Levará tempo e talvez seja necessária a orientação de um bom conselheiro da igreja. Se você é casado, sua esposa pode estar precisando de tanta ajuda quanto você - para tratar do sofrimento causado pelo seu vício. Muitos homens que usam o sexo para lidar com mágoas sofreram traumas profundos no passado - talvez tenham sido abusados sexualmente ou abandonados.
5. Por último, você precisa saber controlar as mensagens sexuais ao seu redor. Você precisa de ajuda para saber reagir às constantes e enganadoras mensagens sobre a sexualidade que são tão comuns na sociedade - as insinuações sensuais dos programas de TV, os e-mails com convites sexuais, etc. Seu espírito ferido clama por paz e cura. Você precisa da ajuda de um conselheiro de confiança.

Foram feito alguns cortes você pode ler o artigo na integra no blog acima citado.