quarta-feira, 19 de outubro de 2011

RELIGIÃO E FILOSOFIAS



Houve uma vez um rapaz que, durante certo tempo, pensou ser possível viver sem religião e sem fé; sua intenção era passar a vida com o único fim de ganhar dinheiro e nome para si mesmo. João era um rapaz talentoso, de in­telecto brilhante e agradável personalidade. Filho de um ministro, julgava o pai muito antiquado e fora da época.

A ciência moderna na mente daquele mancebo fizera com que o Deus de seu pai parecesse um mito; e a religião, uma coisa desnecessária. Ao envelhecer, João achou necessário adotar qual­quer filosofia básica de vida. 

Resolveu estudar todos os filósofos que mais lhe agradassem. Foi-lhe um prazer o estudo e maravilhou-se da profundeza e do que havia de belo em uma porção de homens ilustres. Quanto mais estudava,tanto mais começava a cogitar quem estaria certo.
Havia tantas respostas dife­rentes às grandes indagações da vida! Qual delas estaria certa?

Decidiu, afinal, estudar a biografia dos filósofos, para saber qual deles havia vivido mais satisfatoriamente sua própria filosofia. A medida que estu­dava, ficava mais e mais convencido de que apenas um filósofo vivera aquilo que ensinara. E este era Jesus. O que Jesus ensinou, isso Ele era.

Jesus não somente viveu o que ensinou, mas também pôde apontar para um sepulcro vazio, e dizer: "Eu fui morto e estou vivo e tenho as chaves". Depois de vários anos de estudo, João viu renovada a fé no Deus de seu pai e, olhando para Jesus, converteu-se. Tão maravilhosamente satisfatória foi sua experiência, e tal, o contraste que viu em seu estudo de comparação entre a religião de Jesus Cristo e todas as outras religiões do mundo que resolveu de­fender a causa do cristianismo. Consagrou a vida e os talentos ao ministério evangélico.

Em Cristo é que a nossa religião tem seu começo, e em Cristo ela é aper­feiçoada. Não é de admirar que nos seja dito: "Far-nos-ia bem passar diaria­mente uma hora a refletir sobre a vida de Jesus... Contemplando a beleza de Seu caráter, seremos transformados de glória em glória na mesma imagem".