sábado, 15 de outubro de 2011

O PODER DAS ESCRITURAS


"Toda escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repre­ensão, para a correção, para a educação na justiça" (2 Tm 3.16).

O escritor Lew Wallace duvidava da Bíblia e resolveu escrever uma no­vela, "Ben-Hur", a fim de provar ser falso o cristianismo. Contudo, estudando com atenção as Escrituras, Wallace descobriu nelas justamente "...a repreen­são, ...a correção... e a educação na justiça" de que tanto precisava. A Palavra de Deus de tal forma lhe transmudou o pensamento que acabou por escrever a novela em alto tributo ao recém achado Senhor.

Para os homens pensantes de todos os séculos, as Escrituras Sagradas assu-mem posição preeminente acima de todos os outros livros. Isaque New­ton referiu-se aos Evangelhos como "a mais sublime filosofia da Terra". Goe­the disse: "Para mim os Evangelhos são verdadeiros, desde o princípio até o fim". Benjamin Franklin, Abraham Lincoln, Franklin Roosevelt, D. Pedro II e tantos outros líderes já renderam elevado tributo ao poder do Livro do Céu.

E são do romancista Coelho Neto, as palavras: "Homem de fé, o Livro de mi­nh'alma aqui o tenho: é a Bíblia o pão para minha fome de consolo, a luz nas trevas das minhas dúvidas, o bálsamo para as dores das minhas agonias... Eis o livro que é a valise com que ando em peregrinação pelo mundo. Tenho nele tudo".

 Fonte: Coletânea de Ilustrações