quarta-feira, 27 de julho de 2011

SALMO 117

Este salmo, cujo texto é muito pequeno, é tremendamente grande em seu espírito; pois, arrebentando todas as barreiras de raça ou nacionalidade, convoca toda a humanidade para louvar o nome do Senhor. Com toda probabilidade, foi usado freqüentemente como um breve hino apropriado para quase toda ocasião, e especialmente quando o tempo para o culto era curto. Talvez tenha sido cantado também no começo ou no fim de outros salmos, como nós podemos usar a doxologia. Teria servido ou para dar início a um culto ou para encerrá-lo. É curto e doce. O mesmo Espírito divino que discorre no salmo 119, aqui condensa sua fala em dois versículos curtos, mas mesmo assim a mesma infinita plenitude está presente e perceptível. Vale notar que este é ao mesmo tempo o capítulo mais curto da Escritura e a porção central de toda a Bíblia.

DICAS PARA O PREGADOR
O salmo todo. O reino universal.
1. O mesmo Deus.
2. O mesmo culto.
3. A mesma razão para ele.

VERS. 2. Bondade misericordiosa. Na bondade de Deus há misericórdia, porque:
1. nosso pecado merece o inverso da bondade.
2. nossa fraqueza requer grande ternura.
3. nossos temores só podem ser removidos assim.
VERS. 2 (última cláusula).
1. Em seu atributo - ele é sempre fiel.
2. Em sua revelação - sempre infalível.
3. Em sua ação - sempre de acordo com sua promessa.

Fonte: Esboço no Livro de Salmos - Charles Spurgeon