terça-feira, 28 de junho de 2011

O pássaro e a oração

Busquei ao SENHOR, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores.
Olharam para ele, e foram iluminados; e os seus rostos não ficaram confundidos.
Clamou este pobre, e o SENHOR o ouviu, e o salvou de todas as suas angústias.
Salmos 34: 4-6

Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair? Como é que ele consegue isso? Se a gente tentasse dormir assim iríamos cair e quebrar o pescoço.

O segredo está nos tendões das pernas do passarinho. Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa. Os pés não irão soltar aquela coisa até que ele desdobra o joelho para voar. O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força de segurar qualquer coisa.

É uma maravilha, não é? Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho. Mas, não é tão diferente de nós. Quando nosso “galho” na vida fica precário, quando tudo é ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado - dobrado em oração.

- Harvest Field of the Dakotas, Jack Outhier, Editor

Prisioneiro do Próprio Apetite

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor."

Romanos 6:23

A história “Os Três Eduardos” de Thomas Costain, descreve a vida de Raynald III, um duque do décimo quarto século, que viveu no que hoje é a Bélgica.
Totalmente acima do peso, Raynald foi comumente chamado por seu apelido latino, Crassus, que quer dizer "gordo".

Depois de uma disputa violenta, o irmão mais jovem de Raynald, Eduardo, conduziu uma revolta bem sucedida contra ele. Eduardo capturou Raynald mas não o matou. Ao invés disso, ele o colocou num quarto no castelo de Nieuwkerk e prometeu que ele poderia recuperar o título e a propriedade dele assim que ele pudesse deixar o quarto.

Isto não teria sido difícil para a maioria das pessoas porque o quarto tinha várias janelas e uma porta de tamanho próximo ao normal, e nenhuma delas estava trancada. O problema era o tamanho de Raynald. Para recuperar a liberdade dele, ele precisava perder peso. Mas Eduardo conhecia o irmão mais velho, e cada dia ele enviava uma variedade de comidas deliciosas. Ao invés de fazer regime para sair da prisão, Raynald engordou mais.

Quando acusaram o Duque Eduardo de crueldade, ele tinha uma resposta pronta: "Meu irmão não é um prisioneiro. Ele pode sair quando ele bem quiser."

Raynald ficou naquele quarto durante dez anos e não foi libertado até depois que Eduardo morreu numa batalha. Mas a este ponto, a saúde dele já estava tão arruinada que ele morreu dentro de um ano. . . prisioneiro do seu próprio apetite.

Podemos ver nesta época do ano como o apetite pelo pecado cresce e começa a controlar a vida das pessoas. Alguns parecem totalmente fora de si. E, de fato estão sendo controlados e usados por forças que nem imaginam. É o resultado do pecado e seu apetite insaciável. É necessário o Cristão estar atento para esta seqüência para não brincar e acabar entrando no mesmo vício.

“Illustrations for Preaching and Teaching from Leadership Journal” de Craig Brian Larson, editor, Grand Rapids: Baker Book House, 1993, p. 229

[do site www.hermeneutica.com]

ENTRE A CRUZ E O EMPREGO


Certo funcionário de uma empresa foi chamado um dia ao gabinete do dono.

Sem meias palavras, o homem foi direto ao assunto:
- Estamos reestruturando a empresa e precisamos de uma pessoa exatamente do seu tipo para ocupar uma importante gerência. Analisamos a sua ficha e vimos que só há um problema com você: você é crente e o cargo é incompatível com a sua fé, de modo que você terá que fazer uma opção entre a promoção no emprego e sua religião. Mas você não precisa responder agora. Vá para casa, hoje é sexta-feira, pense, e na segunda nos diga o que foi que decidiu.
Nosso irmão foi para casa envolto no manto da dúvida e naquele final de semana seu coração virou campo de batalha entre o certo e o errado.
Na segunda-feira, lá estava ele na empresa, já ansioso por encontrar-se com o dono, que perguntou-lhe:
- E aí? Qual é a sua decisão?
- Acho que vou aceitar a proposta que me fez.

O patrão nem levantou a cabeça:
- Então, vá imediatamente ao Departamento de Pessoal. Você está despedido!
- Mas... patrão, foi o senhor mesmo que me fez a proposta!
- Sim, mas, na verdade estou procurando alguém de absoluta confiança para ocupar este cargo. Se você foi capaz de tão rapidamente trair a sua consciência religiosa, quem me assegura que mais rapidamente ainda não trairá a empresa?

De João Soares da Fonseca - Revista Compromisso/3º Trim-2001.


Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus.
II Timóteo 3.4
Enviado pelo colaborador: Wilson B. Vasconcelos

sábado, 25 de junho de 2011

Final de Campanha de Oração

Click nas Fotos Para Ampliar
Final de Campanha de oração premiada com 5 vidas rendendo a Jesus,para a Glória de Deus, Deus operou maravilhas!

quarta-feira, 22 de junho de 2011

O CAVALO E A BORBOLETA


Esta é a história de duas criaturas que viviam numa floresta distante, há muitos anos atrás.

Eram elas, um cavalinho e uma borboleta. Na verdade, não tinham praticamente nada em comum, mas em certo momento de suas vidas se aproximaram e criaram um elo.

A borboleta voava por todos os cantos da floresta enfeitando a paisagem, era admirada por meuitos por sua beleza. Já o cavalinho, tinha grandes limitações, não era bicho solto que pudesse viver entregue à natureza. Nele, certa vez, foi colocado um cabresto por alguém que visitou a floresta e a partir daí sua liberdade foi cerceada. A borboleta, no entanto, embora tivesse a amizade de muitos outros animais e a liberdade de voar por toda a floresta, gostava de fazer companhia ao cavalinho, agradava-lhe ficar ao seu lado e não era por pena, era por companheirismo, afeição, dedicação e carinho. Assim, todos os dias, ia visitá-lo e lá chegando levava sempre um coice. O cavalinho dizia que sempre ela o incomodava quando o beijava pousando sobre sua face. Embora ela mudade a posição para pousar sobre ele e levar seu carinho, ainda assim ele reclamava. Ela mudava, se esforçava, mas ele não percebia o carinho que elea tinha por ele. Assim a borboleta optava por esquecer o coice e guardar dentro do seu coração a sua vocação, voar para enfeitar a vida daqueles que a cercavam... Sempre o cavalinho insistia com a borboleta que lhe ajudasse a carregar o seu cabresto por causa do seu enorme peso, mas nunca demonstrou nenhuma gratidão por isso, e prosseguia em maltratar a borboleta. Ela, muito carinhosamente, tentava de todas as formas ajudá-lo, demonstrar que seu amor era verdadeiro, que ela não era mais uma lagarta, mas ele não acreditava.

Os anos se passaram e numa manhã de verão a borboleta não apareceu para visitar o seu companheiro. Ele nem percebeu, preocupado apenas com seus problemas, em como poderia se livrar do cabresto que o aprisionava. E vieram outras manhãs e mais outras e outras, até que chegou o inverno e o cavalinho sentiu-se só, finalmente percebeu a ausência da borboleta.

Resolveu então sair do seu canto e procurar por ela.

Caminhou por toda a floresta a observar cada cantinho onde ela poderia ter se escondido e não a encontrou. Cansado se deitou embaixo de uma árvore. Logo em seguida um elefante se aproximou e lhe perguntou quem era ele e o que fazia por ali.

- Eu sou o cavalinho do cabresto e estou a procura de uma borboleta que sumiu.

- Ah, é você então o famoso cavalinho? - Famoso, eu?

- É que eu tive uma grande amiga que me disse que também era sua amiga e falava muito bem de você. Mas afinal, qual borboleta que você está procurando?

- É uma borboleta colorida, alegre, que sobrevoa a floresta todos os dias visitando todos os animais amigos.

_ Nossa, mas era justamente dela que eu estava falando.

Não ficou sabendo? Ela morreu e já faz muito tempo.

- Morreu? Como foi isso? - Dizem que ela conhecia, aqui na floresta, um cavalinho, assim como você e todos os dias quando ela ia visitá-lo, ele dava-lhe um coice.

Ela sempre voltava com marcas horríveis e todos perguntavam a ela quem havia feito aquilo, mas ela jamais contou a ninguém.

Insistíamos muito para saber quem era o autor daquela malvadeza e ela respondia que só ia falar das visitas boas que tinha feito naquela manhã e era aí que ela falava com a maior alegria de você. Nesse momento o cavalinho já estava derramando muitas lágrimas de tristeza e de arrependimento. Disse então o elefante:

- Não chore meu amigo, sei o quanto você deve estar sofrendo.

Ela sempre me disse que você era um grande amigo, mas entenda, foram tantos os coices que ela recebeu desse outro cavalinho, que ela acabou perdendo as asinhas, depois ficou muito doente, triste e sucumbiu e morreu.

- E ela não mandou me chamar nos seus últimos dias? - Não, todos os animais da floresta quiseram lhe avisar, mas ela disse o seguinte: "Não perturbem meu amigo com coisas pequenas, ele tem um grande problema que eu nunca pude ajudá-lo a resolver.

Carrega no seu dorso um cabresto, então será cansativo demais pra ele vir até aqui."

Ás vezes não temos idéia de que o próximo que está ao nosso lado é alguém que Deus enviou para amarmos e também recebermos esse amor. Existem pessoas tão amargas que por serem aprisionadas pelos seus problemas não conseguem ver os milagres do Criador, que faz lagartas virarem borboletas para enfeitar a vida que Ele nos concede á cada dia.

terça-feira, 21 de junho de 2011

SAINDO DO DESERTO (Marcos 5:25-34)



Esta é a história de uma mulher em que o relato bíblico não registra o nome. Jesus está indo à casa de um homem famoso, importante de nome Jairo. Entretanto, no meio do caminho uma anônima é visitada pela graça curadora de Jesus!
De acordo com a Lei judaica, uma mulher no período menstrual era considerada impura. Esta mulher foi assim durante 12 anos; sempre marginalizada!

QUAIS AS LIÇÕES QUE ESTE EPISÓDIO TEM PARA NOS ENSINAR?

1º) (v. 26) Ela gastou tudo o que tinha, sem nada aproveitar.
   Uma procura constante, sem encontrar. Vocês já tentaram de tudo queridos(as) e, ...nada! Amados(as), sem Jesus, nada vai se aproveitar. Jesus, Ele é o único que pode mudar sua vida! Sua busca se esgota em Jesus. “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permaneceres em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.” (João 15:7).

2º) (v. 27) Como essa mulher chegou a Jesus? Ouvindo a fama de Jesus.
   Queridos(as), vocês têm sido portadores de Boas Novas? O Jesus que foi apresentado a essa mulher não foi um Cristo em feições afeminadas, que ainda está preso numa cruz, de rosto caído. Caso contrário, esta mulher não iria atrás de Jesus. Essa mulher estava à beira da morte, mas criou forças para ir ter com aquele que está descrito pelo profeta: “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” (Isaías 53:4-5) – (Apocalipse 1:13-16).

3º) Essa mulher exercitou a fé. “De fato, sem fé é impossível agradar, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam.” (Hebreus 11:6).
Ela estava no leito, à beira da morte. Ela poderia dizer: que bênção é esse Jesus! E continuar deitada. Entretanto, ela se levantou (v. 28) Veja a conseqüência de uma atitude de fé (v. 29a).

VEJA AS TRÊS ATITUDES DE SUPERAÇÃO DESSA MULHER:

a)      Venceu o preconceito da sociedade; ela era considerada imunda.
b)      Ela teve que superar a multidão que estava à volta de Jesus.
c)      Ela interrompeu o curso da história de Jesus, pois Ele não estava ali para curá-la, mas estava indo à casa de Jairo. Ela foi abençoada porque creu e tocou em Jesus!


QUESTÕES PARA REFLETIR:

a)      Quando estamos enfermos ou fracos, espiritualmente falando, o que devemos fazer com base em Tiago 5:14-16?
b)      Para quantas pessoas você já falou de Jesus com uma motivação?

                                                           Pastor Luiz Eduardo dos S. Silva

segunda-feira, 20 de junho de 2011

DESERTO ESCOLA DE DEUS


"Recordar-te-á s de todo o caminho pelo qual, o SENHOR, teu Deus, te Guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar,para saber o que estava no teu coração, e guardarias ou não os Seus mandamentos."(Livro de Deuteronômio, 8.2) 

    O deserto tem muitas faces: solidão, aridez, desconforto, esterilidade. Todas as vezes que nos vemos em volta de tais realidades é porque inexoravelmente estamos atravessando um deserto. Necessariamente, não precisa ser um Saara, ou um Arizona. Pode ser uma doença inflexível, um problema familiar insolúvel ou uma angustia implacável da perda de um ente querido. Não importa! Seja literal ou não, geográfico ou conjuntural, físico ou psicológico, o fato é que desertos têm sempre a mesma fisionomia: são secos, solitários e terrivelmente deprimentes. São capazes de gerar em nós a pior das sensações: a solidão.

 Mas por que passamos por Desertos?
Qual o motivo que nos leva vez por outra a passarmos pela experiência dura dos desertos da vida? Por mais que tais realidades sejam subproduzidas por conjunturas criadas pelo próprio homem e suas próprias decisões, a Palavra de Deus nos diz que o deserto (seu e meu), com todas as suas proposituras de dor, sempre é uma escola do Altíssimo. Quando o curso de nossa vida toma esse aspecto calcinatório e desolado dos ermos é porque o Senhor está querendo nos ensinar algumas lições importantes, as quais não germinam na topografia da alegria, da bonança e da prosperidade. Só os desertos oferecem "fertilidade" para tais verdades abrolharem em nossas vidas. O texto que lemos nos dá três grandes lições que aprendemos nessa dura, terrível, mas necessária escola de Deus.
1. No deserto nós aprendemos a ouvir a voz do Altíssimo .
É interessante o fato da palavra deserto, no hebraico 'midbar', vir da mesma raiz da palavra 'dabhar' – falar. Isto se deve intrinsecamente ao fato de que o deserto é um lugar onde Deus fala e nós nos dispomos a ouvir. Onde Ele nos comunica as Suas mais importantes mensagens, e nós damos ouvidos à sua voz. Passamos a vida inteira em nosso gáudio sem ouvir (ou dar ouvidos) à Sua voz, mas o deserto corrige isso: é o megafone de Deus, a dizer tudo aquilo que sempre relutamos ouvir, e a nos comunicar tudo aquilo que sempre prescindimos saber. Neste lugar solitário, só a voz de Deus é maior do que a voz da solidão, da dor. Se não fosse essa experiência do deserto pela qual passamos poderíamos viver a vida inteira sem ouvir ou conhecer o que Deus tanto deseja nos ensinar – e que só é possível trazendo-nos a essa angustiante escola de sofrimento. 


 2. No deserto nós aprendemos ser humildes.
O verso 2 diz que Deus levou Seu povo ao deserto para fazê-los humildes (melhor tradução). Isto para ensinar-lhes a dura lição da humildade. Porque o deserto não é só um lugar de condições precárias para a sobrevivência, é também um lugar de obscuridade. Nos desertos nós temos que aprender a conviver com a dura realidade da solidão. Fomos sacados da fama e abandonados no meio do solitário anonimato. Como Moisés (tirado do palácio e levado ao deserto), deixamos de ser importantes, e temos que conviver com a dura realidade da obscuridade. Deixamos de ser "a bola da vez", o "cara in", a referência. Essas coisas deixam de ser importantes no deserto: lá é uma lixa de Deus que remove essa espessa e dura camada de orgulho com a qual nos vestimos nos momentos de prosperidade. Que dura lição essa que os desertos nos ensinam, mas necessária. Eles nos ensinam que não precisamos dos "tapinhas nas costas", dos aplausos, dos holofotes da glória humana. Precisamos apenas Dele

 
3. No deserto nós aprendemos a lição do autoconhecimento.
 O deserto revela quem nós somos. O verso nos revela esse terceiro propósito: "... para saber o que estava no teu coração...". Na verdade, não há nada como um deserto para nos ajudar a conhecer o nosso próprio eu. Foi o deserto que revelou o coração maldizente e incrédulo do povo que saiu do Egito . Quando as crises chegaram, eles revelaram quem realmente eram. Todos os bonitos e falsos trajes da aparência foram removidos, dando lugar à verdadeira face do seu coração e do seu caráter. Quando estamos atravessando um deserto, é porque há uma face oculta do nosso ser que precisa ser conhecida e tratada na presença do Senhor. 
Não obstante todas as múltiplas faces aterrorizantes que os desertos tenham, todos eles cumprem esse propósito pedagógico em nossas almas. o Senhor jamais nos põe na fornalha ardente do deserto para nos destruir. Ele apenas nos refina. Nos torna melhores.
Pensemos nisso.

Helayne Kristhine – Goiânia / GO

SEMPRE ESTAREI AO SEU LADO

Na Romênia, um homem sempre dizia ao seu filho:
- Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado.
Certo dia, após um terremoto de intensidade muito grande quase acabar com a cidade, este homem correu para a escola do seu filho e só encontrou um montão de ruínas.
Imediatamente, ele e outros pais começaram a cavar. Depois vieram os bombeiros e mais pessoas para ajudar. As horas passavam rapidamente e com elas, a esperança de encontrar alguém com vida.
Um a um, cansados e desesperados, os pais foram deixando o trabalho de buscas para os bombeiros, mas, esse homem, de forma obstinada, continuava. Pediram-lhe que descansasse um pouco, mas, ele não parava.
A sua promessa ao seu filho lhe renovava as forças: "- Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado".
Ao afastarem uma enorme pedra, com a ajuda de um guindaste, ele chamou mais uma vez pelo filho. E uma doce voz infantil lhe respondeu:
- Pai... estou aqui!
- Você está bem, meu amor?
- Sim, papai, mas, estamos com sede e fome.
- Tem mais alguém com você?
- Sim, todos os alunos da minha classe estão aqui.
Eles haviam ficado presos em um vão entre dois pilares de concreto.
Quando a televisão veio entrevistar o menino e perguntou se ele havia ficado com medo, ele emocionou a todos:
- Não, eu falei para os meus amgos: "Não precisam ter medo, meu pai irá nos achar. Ele prometeu que sempre irá estar ao meu lado. E meu pai nunca quebra uma promessa".

Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.
                                                            Mateus 28.20

Autor desconhecido.
Extraído do livro: Textos Selecionados, elaborado pelo
Instituto de Desenvolvimento do Potencial Humano - IDPH

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Campanha de Oração - Pra Raquel (Barra do Piraí)

Nesta quinta-feira foi realizado o segundo dia de campanha de oração com a Pra Raquel, um tempo de louvor, adoração, ministração da palavra e avivamento, coisas lindas Deus realizou, salvando mais uma vida esta noite, ministrou a palavra o Evangelista Ailton. O fechamento da campanha é na próxima quinta-feira venha e seja abençoado!

Click nas Imagens Para Ampliar
 Click nas Imagens Para Ampliar

MOLDADOS POR DEUS

 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos;  Trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no nosso corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também nos nossos corpos;
              II Corintios 4:7-10

A vida cristã é uma grande escola, vivemos situações que aos nossos olhos não entendemos, mais o tempo, traz a luz ao que nos parece obscuro, aí  entendemos que nada que vivemos é em vão e que Deus está no controle de todas as coisas.
A segunda carta do apóstolo Paulo trata da confirmação do seu apostolado, uma igreja fundada por ele, mais que passa a negar sua autoridade.
O capitulo quatro trata da fidelidade de Paulo no ministério e da fonte do seu conhecimento e de seu poder.
Vasos de Barro,  O profeta Jeremias é levado por Deus a casa do oleiro e lá observa o oleiro  em seu trabalho sobre a roda, observou o vaso sendo moldado passando pelas mãos ágeis do oleiro, até que ele encontre a forma certa. Assim é nossa vida vivemos situações, ´para sermos moldados transformados segundo a vontade de Deus. Jeremias vê o vaso quebrado na mão do oleiro o oleiro quebra e faz de novo, assim acontece também conosco em muitas situações somos quebrados, pois, precisamos aprender a descer deixar a soberba o orgulho e voltarmos pra Deus.
Na vida não nos falta tribulação, lutas são constantes mais as nossas lutas tentam nos deixar angustiados e nesse momento devemos, “lançar sobre Deus nossa ansiedade, pois ele tem cuidado de nós”(1), varias coisas nos deixam perplexos, ficamos assustados, será que isso tá acontecendo mesmo, mais essas coisas não nos desanimam pois “somos firmes e constantes na obra do Senhor sempre abundante pois a nossa recompensa vem do Senhor” (2), perseguidos, oh, e como, mais de uma coisa tenho certeza Jesus está comigo “não te deixarei nem te desampararei”(3), abatido em certas situações diante de algumas derrotas mais nesse momento  Deus fala ao nosso coração“ eu te fortaleço e te ajudo e te sustento em minha destra fiel”(4).
Quando deixamos Deus governar nossa vida e procuramos fazer a vontade de Deus ele nos sustenta, renova nossas forças e nos alimenta para uma nova caminhada, Moldados por Deus na roda da vida, lançado na fornalha das situações difíceis,  tomamos a forma que Oleiro quer, para guardar o grande tesouro.

(1) 1Pe 5:7; (2) 1Co 15:58; (3) Hebreus 13:5b; (4) Isaías 41:10b 

                                                                         Pastor Sebastião Luiz Chagas

terça-feira, 14 de junho de 2011

UMA FLOR HORROROSA

O parque estava quase deserto quando me sentei num banco embaixo dos ramos de um velho carvalho, desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois parecia que o mundo estava conspirando contra mim.
Eu queria ficar só, mas, um garoto ofegante se chegou, cansado de brincar, parou na minha frente, cabeça pendente, e, cheio de orgulho, disse-me: 
- Veja o que encontrei, e estendeu em minha direção uma flor horrosamente decaída, macetada, nas últimas.

Querendo me ver livre do garoto o quanto antes, fingi um pálido sorriso e tentei iniciar a leitura de um livro de auto-ajuda, mas, ao invés de ir embora, ele se sentou ao meu lado, levou a flor ao nariz e disse:
- O seu cheiro é ótimo. Fique com ela!

Então, estendi minha mão para pegá-la e respondi com ironia: - Obrigado, menino, essa flor era tudo o que eu precisava para completar o meu dia.Mas, ao invés de estender o braço, ele manteve a flor no ar, para que eu a pegasse de suas mãos. Nessa hora notei, pela primeira vez, que o garoto era cego.- De nada, disse ele sorrindo, feliz por ter feito uma boa ação.Uma ação tão boa que me fez ver a mediocridade dos meus pensamentos e das minhas atitudes diante dos reveses da vida.



Bem-aventurados os olhos
que vêem o que vós vedes.

Lucas 10.23
Autor desconhecido.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

ENCONTRO DE VOCACIONADOS






Aconteceu no fim de semana passado no sitio AMOBRE em Passa Três o 1° Encontro de Vocacionados da Região com o apoio DET, Projeto Colheita, AMEOVALE em uma realização COMEC, COUAC , na direção do Pastor Antonio Carlos e sua esposa irmã Graziele, os representantes das igrejas maioria adolescente e seminaristas, foram ministradas  palestras na sexta- feira, Pr. Osvaldo (Presidente UIECB), no sábado, Pr. Eliazar Duarte ( manhã e noite) e Missionária Mirtes (tarde), fechando no domingo com o Pr. Jonhy Maia.
Àqueles que investiram no trabalho, com certeza terão retorno, pois foi um tempo de despertamento ao chamado missionário na região, sendo assim mais um passo para no Projeto Colheita. 

sábado, 11 de junho de 2011

BOLAS DE PLÁSTICO

Estava preocupado com a minha filha. Betsy estava entrando na adolescência e passava por uma daquelas fases em que qualquer pequeno problema parece uma tragédia. Nos últimos tempos, andava cabisbaixa porque uma de suas melhores amigas resolvera implicar com suas roupas e debochar de tudo que ela dizia.  
Queria encontrar uma forma de ensinar a Betsy que a vida é cheia de altos e baixos e que precisamos enfrentar as adversidades de cabeça erguida, sem deixar que afetem nossa auto-estima. Mas fazer com que ela compreendesse isso não seria uma tarefa fácil. Como a maioria das meninas da sua idade, Betsy achava que os pais viviam em outro mundo e não entendiam seus problemas.
- Minha vida é uma droga. Ninguém se importa comigo e às vezes penso que ninguém ligaria se eu não estivesse mais aqui 
– ela respondeu uma noite, quando tentei conversar com ela sobre a melhor maneira de lidar com as críticas da amiga.
- Eu e sua mãe nos importamos. Você é uma garota fabulosa 
– disse, dando-lhe um beijo de boa-noite.Antes de dormir, conversei com minha mulher, Nancy, sobre o que podíamos fazer para ajudar Betsy. Pensamos numa boa estratégia.No dia seguinte, durante o jantar com Betsy e o caçula, Andy, minha mulher comentou acerca de um discurso que o pastor de nossa igreja tinha feito há alguns dias. Ele tinha comparado os problemas com uma bola de plástico, daquelas bem leves que as crianças gostam de jogar na praia.O pastor pediu que imaginássemos que estávamos no fundo de uma piscina e tentávamos manter a bola entre as pernas, sob a água. Isso era fácil por algum tempo, mas depois só havia duas possibilidades. Ou você ficava tão cansado que deixava a bola escapar e pipocar na superfície ou – que é pior – ficava tão cansado em tentar mantê-la submersa que acabaria se afogando.A mensagem do pastor era clara: não adianta tentar esconder os problemas a qualquer custo. Mesmo usando toda nossa força e determinação, em algum momento eles virão à tona e lutar contra isso pode arruinar nossa vida. Por outro lado, ao observar as mentiras, mágoas, dúvidas e medos à luz do dia, temos muito mais chances de superar os obstáculos e perceber que não eram assim tão importantes.Depois que Nancy contou a história, pude ver que os meninos estavam tentando entender o que aquilo tinha a ver com eles. Expliquei que, às vezes, todos nós temos nossas "bolas de plástico", que tentamos esconder. Pedi que, a partir de então, sempre que eles tivessem dificuldade em nos contar um problema, deveriam simplesmente dizer: "Tenho uma bola de plástico."Nancy e eu prometemos que a única coisa que faríamos por vinte e quatro horas seria ouvir. Nada de gritos, julgamentos, conselhos: apenas ouvir. Depois de vinte e quatro horas, poderíamos tentar lhes ajudar a sair do problema. O fundamental era que soubessem que sempre estaríamos por perto e prontos para ouvir, independente da gravidade da situação.Através dos anos, eles nos apresentaram muitas "bolas de plástico", normalmente tarde da noite. Algumas eram mais sérias que outras. Algumas até engraçadas e tentávamos não rir quando nos contavam. Outras jamais chegaram aos nossos ouvidos, mas foram divididas com amigos da família. Sempre nos submetemos à regra das vinte e quatro horas. Nunca voltamos atrás em nossa promessas, não importando o quanto queríamos reagir ao que contavam.Os dois agora são adultos. Tenho certeza de que ainda têm "bolas de plástico" de vez em quando. Todos temos. Mas sabem que estaremos por perto para ouvi-los. Afinal, o que é uma bola de plástico? Algo que desaparece quando você a solta ao vento.
Jeff Bohne

"Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados"
Tiago 5.16
Fonte: http://sitedopastor.com.br/

A GRANDE CEARA

ESBOÇO SERMÃO PASTOR OSVALDO (Presidente UIECB), NA ABERTURA DO ENCONTRO DE VOCACIONADOS

INTRODUÇÃO:

O Propósito do Chamado de Deus para o Homem
1) Adoração
2) Comunhão
3) Testemunho

Texto: Mateus 9: 35 - 38

Aspectos do Ministério de Jesus
1) Ensino
2) Pregação da Palavra
3) Manifestação de Poder

Percepções de Jesus em seu Ministério
1) Necessidade do Mundo
2) Grandeza da Obra
3) Carência de Obreiros

Verdades no Texto
1) Deus Precisa de Obreiros
2) Deus Precisa de Obreiros Preparados
 a - Academicamente
 b - Teológicamente
 c - Espiritualmente
3)Deus precisa de Obreiros Dispostos e Disponíveis 

Conclusão: Deus te Chama  

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Inicio de Campanha - Pastora Raquel Santos - Barra do Piraí






Deu inicio nessa quinta-feira com a Pastora Raquel Santos, Campanha de Libertação no Salmo 91, coisas , e para glória de Deus duas vidas que estavam desviadas retornaram para os caminhos do Senhor, foi tremendo a ação de Deus e na quinta feira que vem ela estará de volta, venha traga sua família e seja abençoado.

Introdução

       Depois do Carnaval, o evento mais esperado do calendário brasileiro são as festas juninas, que animam todo o mês de junho com muita música caipira, quadrilhas, comidas e bebidas típicas em homenagem a três santos católicos: Santo Antônio, São João e São Pedro.
     Naturalmente as festas juninas fazem parte das manifestações populares mais praticadas no Brasil.
     Seria as festas juninas folclore ou religião? Até onde podemos distinguir entre ambos? Neste estudo não pretendemos atacar a religião católica, já que todos podem professar a religião que bem desejarem, o que também é um direito constitucional. mas tão somente confrontar tais práticas com o que diz a Bíblia.

Herança Portuguesa

       A palavra folclore é formada dos termos ingleses folk (gente) e lore (sabedoria popular ou tradição) e significa:
 
“o conjunto das tradições, conhecimentos ou crenças populares expressas em provérbios, contos ou canções; ou estudo e conhecimento das tradições de um povo, expressas em suas lendas, crenças, canções e costumes."

      Como é do conhecimento geral, fomos descobertos pelos portugueses, povo de crença reconhecidamente católica. Suas tradições religiosas foram por nós herdadas e facilmente se incorporaram em nossas terras, conservando seu aspecto folclórico. Sob essa base é que instituições educacionais promovem, em nome do ensino, as festividades juninas, expressão que carrega consigo muito mais do que uma simples relação entre a festa e o mês de sua realização.
    Entretanto, convém salientar a coerente distancia existente as finalidades educacionais e as religiosas.
       É bom lembrar também que nessa época as escolas, "em nome da cultura", incentivam tais festas por meio de trabalhos escolares, etc... A criança que não tem como se defender aceita, pois se sente na obrigação de respeitar a professora que lhe impõe estes trabalhos (sobre festa Junina), e em alguns casos é até mesmo ameaçada com notas baixas, porquê a professora, na maioria das vezes, é devota de algum santo, simpatizante ou praticante da religião Católica, que é a maior divulgadora desta festa. Neste momento quando se mistura folclore e religião, a criança -inocente por natureza - rapidamente se envolve com as músicas, brincadeiras, comidas e doces. Aliás, não existiria esta festa não fosse a religião. Inclusive existe a competição entre clubes, famílias ou grupos para realizarem a maior ou a melhor festa junina da rua, do bairro, da fazenda, sítio, etc...Click Aqui e Leia Todo Artigo

Fonte: Estudos da Biblia

METAMORFOSE

O pecado deforma, o mundo reforma, mas Cristo transforma



"Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" 
                                                                                          (Rm.12.2).
O homem foi criado perfeito (Ec.7.29), conforme a imagem e semelhança de Deus (Gn.1.26), mas corrompeu-se pelo pecado, tornando-se muito diferente do seu criador. Na medida em que foi se degradando, o ser humano adquiriu características do tentador. Se Satanás vem para roubar, matar e destruir, quem faz estas coisas torna-se semelhante a ele (Jo.10.10).Por esta causa, ocorreram tantas atrocidades no curso da história e ainda ocorrem. O caráter do homem deformou-se de tal modo, que corrupção, guerras e chacinas tornaram-se cada vez mais frequentes e comuns. Ainda que nem todas as pessoas se encontrem na extrema prática da maldade, é plano do inimigo que todos se corrompam ainda mais, indo de mal a pior, conforme escreveu Paulo (2Tm.3.13).Constatar a maldade humana não é difícil. Os fatos publicados diariamente nos meios de comunicação atestam isso. Contudo, o que pode ser feito para resolver o problema? Muitos dirão que a educação é o caminho. Quem sabe as religiões e filosofias de vida possam melhorar o homem? Apesar da utilidade que tudo isso possa ter, o efeito será apenas superficial, um disfarce para a natureza pecaminosa. Estudar é bom e aconselhável, mas o conhecimento acadêmico não muda o caráter do homem. Muitos, depois de haverem estudado durante décadas, tornaram-se mais hábeis na "arte" de roubar e enganar.  Click Aqui e Leia Todo o Artigo


Pr.Anísio Renato de Andrade
www.anisiorenato.com
www.twitter.com/anisiorenato


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Feliz Dia dos Namorados

                                                                 
                                                   
O namoro cristão é uma preparação.                                                         Um período extremamente importante na vida de dois jovens cristãos e de muitas responsabilidades. Representa um período de transição entre dois jovens ou adultos, um homem e uma mulher, crentes no Senhor Jesus Cristo, sendo que ambos devem ter um bom nível de maturidade. Ambos mantém um bom ritmo de comunicação, sendo através deste relacionamento orientados e preparados por Deus para um futuro casamento.
Namoro cristão deve sempre visar o casamento. Um namoro que não tem como alvo um futuro casamento, sequer deve ser iniciado.Embora o desejo seja que ambos se tornem íntimos em seu relacionamento, isso não quer dizer liberdade no aspecto físico e muito menos liberdade sexual entre o casal de namorados. A relação sexual está destinada a ser desfrutada apenas entre pessoas devidamente casadas (Hebreus 13.4; Gênesis 2.24; Cantares de Salomão 4.12; 1Tessalonicenses 4.3-5; Colossenses 3.5-6; 1Coríntios 6.15-20; 1Timóteo 5.22; 2Timóteo 2.22).
Este é um período de conhecimento mútuo, conhecimento da alma, do coração, nunca do físico um do outro. O aspecto físico está destinado para depois do casamento. Portanto, exige disciplina própria, vigilância constante. É um tempo onde se obtém oportunidade de duas personalidades diferentes se harmonizarem, conhecerem um ao outro.
Comunhão espiritual é fator primordial. Lembre-se que quanto mais próximo cada um estiver de Deus, mais próximo estarão um do outro. Este período também serve para confirmar a perfeita vontade de Deus para a vida de ambos.


O padrão de Deus para um namoro bem sucedido é este:
1) Espiritual – forte. Deus em primeiro lugar, nunca seu namorado (a).
2) Vontade, emoções e mente dentro do plano de Deus.
3) Corpo (físico) – sob controle.


Quando um namoro está fora do padrão de Deus, o que acontece é justamente o contrário:
1) Espiritual – fraco. A sensibilidade espiritual está cauterizada.
2) Emoções, vontade e mente – descontrolada.
3) Físico – sensual.


Portanto, fora do padrão de Deus ocorre que o lado espiritual fica cauterizado; a mente, a vontade e as emoções raciocinam de forma sensual e o físico fica corrupto.
Uma pergunta séria a se pensar:
A vontade de Deus é mais importante que o seu namoro?
Que Deus em Cristo os fortaleça.



Feliz Dia dos Namorados

terça-feira, 7 de junho de 2011

A ÚLTIMA IMPRESSÃO É A QUE FICA

Ezequiel Capítulo 18

   Porque será que acreditamos em certas mentiras? Por exemplo, há uma propaganda de perfume que insiste em incutir em nossas mentes a seguinte idéia: "A PRIMEIRA IMPRESSÃO É A QUE FICA!"
    Pela nossa experiência de vida, sabemos que isso é mentira, mas, a gente sempre acaba comprando o perfume e, pior ainda, "compramos" também a idéia mentirosa. E a "vendemos" para nossos filhos, amigos e parentes, especialmente quando queremos que eles se vistam bem para um encontro importante ou para uma entrevista de emprego. Mas o fato é que esta frase é uma grande mentira. Quer conferir comigo?
  - Levantem a mão direita todos aqueles que um dia conheceram uma pessoa maravilhosa, mas, depois de a conhecer melhor, decepcionou-se com tal pessoa! Podem baixar as mãos.
    - Agora levantem a mão direita aqueles que um dia "não foram com a cara" de uma pessoa quando a conheceram, mas depois, com a convivência, descobriu tratar-se de uma pessoa boa, que não era nada daquilo que parecia ser e hoje, quem sabe, são até amigos! Podem baixar as mãos! Obrigado.
    Viu? Eu não disse que essa idéia sobre a primeira impressão é uma tremenda mentira?
    A primeira impressão é muito importante, especialmente para quem tem um encontro ou uma entrevista de emprego, mas, de fato, a impressão que fica É A ÚLTIMA!
    Este maravilhoso Capítulo do Livro do Profeta Ezequiel ajuda-nos a quebrar alguns preconceitos inúteis:

1. Cada pessoa responde diante de Deus somente por si
    "Deus pergunta: - Qual é a de vocês? Porque vocês ficam dizendo que vocês estão sofrendo por causa dos pecados dos seus pais? Nunca mais digam isso! A alma do pai é minha, a alma do filho também é minha. A alma que pecar, essa morrerá" (paráfrase dos versos 1 a 4).

2. Um homem bom pode ter a infelicidade de ter um filho ladrão e assassino
    Não julgue o pai pelos erros de seus filhos. Veja o que diz Ezequiel:
    "Se um homem justo... gerar um filho ladrão, derramador de sangue... (não responderá pelo filho)" (versos 5 a 13).

3. Um ladrão e assassino pode gerar um filho justo
    Não julgue os filhos de um bandido pelos atos de seu pai.
    "... o filho não morrerá pela iniqüidade de seu pai" (versos 14 a 18).

4. O perverso pode se converter
    Não julgue o perverso que se converteu, como se isso não fosse possível.
    Ninguém está autorizado a cometer perversidades, mas, se de fato, vier a se arrepender Deus promete perdoar seus pecados "... e de todas as iniqüidades que cometeu não haverá lembrança contra ele" (versos 21 a 23).

5. O justo que "virar a cabeça" cairá em desgraça
    Mesmo que tenha sido bom e justo toda a vida, se alguém virar a cabeça "... de todos os atos de justiça que tiver praticado não se fará memória" (verso 24).

    Pois, "A ÚLTIMA IMPRESSÃO É A QUE FICA!!!"

    Deus julgará cada um segundo os seus caminhos e nos faz um convite apaixonado, maravilhoso, irrecusável:
    "Convertei-vos e desviai-vos de todas as vossas transgressões; e a iniqüidade não vos servirá de tropeço. Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes e criai em vós coração novo e espírito novo; pois, por que morreríeis, ó casa de Israel? Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o Senhor Deus. PORTANTO, CONVERTEI-VOS E VIVEI" (versos 30 a 32).

Autor: Pr Franco

Fonte: Site do Pastor

segunda-feira, 6 de junho de 2011

A MITOMANIA

A Eloquência da Mentira
A MITOMANIA é uma tendência patológica relacionada ao hábito de mentir. O mitômano, diferente do mentiroso, cria suas histórias verossímeis e muito bem construídas, a fim de suprir alguma necessidade interior
                                                                               Por Andrea Bandeira

A Pseudologia fantástica, mitomania ou mentira patológica são termos utilizados por psiquiatras para definir o comportamento habitual do mentiroso compulsivo. Esse comportamento foi descrito pela primeira vez na literatura médica em 1891, pelo psiquiatra alemão Anton Delbrueck. Mentira patológica pode ser definida como a falsificação totalmente desproporcional para qualquer finalidade em vista, que pode se manifestar ao longo de um período de anos ou durante toda a vida.
Normalmente, as mentiras dos mitomaníacos, ou mitômanos, estão relacionadas aos assuntos específicos, porém podem ser ampliadas e atingir outros assuntos, em casos considerados mais graves.
Justamente por não possuírem consciência plena do que se passa com eles, os mitômanos acabam por iludir os outros em histórias de fins únicos e práticos, com o intuito de suprirem aquilo que falta em suas vidas. É considerada uma doença grave, necessitando que o seu portador obtenha grande atenção por parte dos amigos e familiares.
Para Philippe Jeammet, professor titular de Psiquiatria da Criança e do Adolescente da Universidade de Paris, os casos evidenciam comportamentos mitômanos que não têm nada de verdadeiramente novo, a não ser a divulgação pela mídia de que foi objeto, isso, antes mesmo que se descobrisse que os fatos alegados não ocorreram. “A maioria das mitomanias é bem construída e se alimenta de histórias verossímeis”, explica Jeammet. “Assim, é lógico que as pessoas próximas se deixem atrair para o jogo, pois não podemos de todo modo começar a suspeitar que todos são mitômanos”, conclui.

Difícil diagnóstico e tratamento
Não se sabe ao certo os motivos pelos quais a mitomania se manifesta. Primeiro, porque acarreta milhares de fatores sociopsicológicos da pessoa afetada e, segundo, porque enfatiza uma situação social, podendo, então, mostrarse eventual, dependendo das circunstâncias presentes na época em que o indivíduo está vivendo. Na maioria das vezes, é por desejo de aceitação daqueles que o rodeiam.
A cura do indivíduo reside muitas vezes na criação de um quadro de cuidados que associa tratamento combinado: medicamentoso e psicoterapêutico. Tal acompanhamento torna-se a parte mais importante, sendo realizado pelas pessoas que rodeiam o mitômano e que ele mesmo requisitou para ajudálo, com o profissional responsável. É importante nunca negar a ele tal acompanhamento, sendo esta a chave para a cura.
                                                                                      Fonte: Revista Psique


Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.                                          
                                                                                             II Corintios 5:17
 
A piscologia tem uma esplicação para o mentiroso compulsivo aquele que vive inventando histórias, vivendo no mundo da lua, falam mentiras sem necessidades e como diz a psicologa uma forma de suprir alguma carencia interna, compreensivel, em partes agora quando o mentiroso é um cristão! O que dizer?
O apostolo Paulo diz que as coisas velhas se passaram e tudo se fez novo, quando Cristo entra em nossa vida Ele preenche todo e qualquer vazio existencial que há em nossa vida levando o mentiroso a um homem sério e acreditavel em tudo que fala, "mais é preciso estar verdadeiramene em Cristo", não em partes por completo. Tem um hino que diz:
"Jesus Cristo mudou meu viver é a luz que ilumina o ser, sim Jesus Cristo mudou meu viver", saia da mentira e viva a verdade que é Jesus.

Pastor Sebastião Luiz Chagas
Eu amo os que me amam, e os que de madrugada me buscam me acharão.(Provérbios 8.17)



Interpretação popular:
Os que oram de madrugada acharão a Deus.

Considerações:
O Capítulo 8 de Provérbios fala da sabedoria.

Interpretação correta:
Logo, os que buscam a sabedoria de madrugada (isto é, os que estudam até tarde ou acordam cedo para estudar) a acharão.
_____________________________________________________________________

Misericórdia quero, e não sacrifício.(Oséias 6.6)

Interpretação popular:
A palavra "sacrifício", neste texto, tem sido interpretada como esforço. Lamentavelmente, muitos crentes têm usado este versículo para se safar de algum trabalho na igreja, que eles sentem que vai requerer-lhes um grande esforço pessoal: "Deus não quer sacrifício", dizem eles.

Considerações:
a) Os sacrifícios citados neste texto referiam-se à oferenda de animais no templo, conforme prescrito na lei de Moisés. Não tem nada a ver com a idéia de esforço.

b) Nesta declaração Deus não estava acabando com os sacrifícios (isso só viria a acontecer quando da morte de Jesus, o sacrifício perfeito, definitivo, que Deus aceitou).

c) Neste versículo Deus estava dizendo para o povo que não adiantava ficar oferecendo um monte de sacrifícios no templo e, ao mesmo tempo, estar vivendo em pecado e deixando de usar de misericórdia para com os necessitados, os órfãos e as viúvas.

d) O esforço pessoal é amplamente ensinado nas Escrituras. Se o cristão não se esforçar ao máximo, pouco ou nada conseguirá em sua carreira. Leia estes versículos: Marcos 12.30, Lucas 14.23, Lucas 16.16, Romanos 2.6, Romanos 4.4, I Coríntios 3.10-15, I Coríntios 9.27, Tito 3.8, Hebreus 10.24, Hebreus 11.34, Tiago 2.17, II João 1.8, Apocalipse 22.12.

Interpretação correta:
Deus não estava acabando com os sacrifícios no templo, mas, sim, lembrando ao povo que todo aquele ritualismo era completamente vazio e sem significado se não viesse acompanhado de uma vida piedosa e de atos de misericórdia para com os desfavorecidos.

Quanto ao esforço pessoal, a Bíblia é clara: o crente tem que se esforçar, e muito. Até o ponto de fazer, não um, mas diversos "sacrifícios" pessoais para colocar o reino de Deus em primeiro lugar em sua vida.
______________________________________________________________________