quarta-feira, 25 de maio de 2011

DE QUEM É A GLÓRIA

Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar,  mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens;  e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.  Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome;  para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,  e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.
Filipenses 2: 5-11
centro da cidade está em obras, buraco em todo lugar, homens trabalhando varias empresas empenhadas em deixar a cidade mais bonita.

Olhando esses movimentos o Espírito de Deus levou-me a meditar, de quem será o crédito ao final dessa grande obra. Quando as pessoas passarem pela cidade ao final da obra irão declarar, como é bom esse prefeito, como a cidade está bonita, o nome da firma ou de dos trabalhadores, dificilmente serão citados, pois aos olhos naturais da sociedade a obra pertence aquele que está no governo, fácil de compreender. Diante disso fui levado a uma questão.

Por que para muitos cristãos é difícil de entender que a obra é de quem está no governo?

A nossa caminhada cristã não pode ser diferente, posso pregar, evangelizar, ganhar almas, operar sinais no nome d’Ele, mais quando a alma se rende ao Senhor, quando o homem é curado, quando o homem é liberto, a glória é de Deus.

Queridos precisamos ficar atentos com a nossa posição no reino de Deus, somos servos “dolos”(escravo) ao serviço ao serviço de Cristo, o apóstolo Paulo declara “já não sou eu quem vivo, mais Cristo vive em mim”, se Cristo vive em mim, não busco glória própria mais a glória de Deus.

Hoje pessoas estão praticando o egocentrismo, dentro de uma visão humanística, em que o homem é o centro de todas as coisas e que tudo converge nele, com isso a necessidade do reconhecimento tem desvirtuado o caráter Cristão “EU PREGO E AS PESSOAS SÃO TOCADAS, EU ORA E AS PESSOAS SÃO CURADAS, MINHA OVELHA, MEU DISCIPULO, MEU MINISTÉRIO, o EU e o MEU, não tem saído da boca de tais “homens de Deus”.

Por isso meus amados vamos estar atentos, deixando que Jesus continue sendo o centro em nossas vidas e que Deus leva a glória por nosso serviço em favor do seu Reino.    


Pastor Sebastião luiz Chagas