sexta-feira, 8 de abril de 2011

O PASTOR DE PORCOS

“...a porca lavada voltou a se revolver no lamaçal.” (II Pedro  2:21, 22)

“Era uma vez um bom pastor de ovelhas que tinha poucas ovelhas e, cansado de ver seu aprisco tão vazio, tinha pressa em aumentar o rebanho. Ele sabia que podia cuidar muito bem de uma quantidade maior de ovelhas, mas, não havia ovelhas disponíveis para adquirir naquela região. Foi quando alguém o convenceu de uma estranha teoria: - "Se você ensinar um porco a viver como ovelha, com o tempo, ele se torna uma ovelha". Então, o pastor de ovelhas passou também a cuidar de porcos. No começo ele quase desistiu, mas, como era um sujeito determinado, insistiu. Brigou. Bateu. Pediu. Implorou. Motivou. Desafiou. Presenteou. Reforçou o comportamento positivo. Premiou. Mas, aqueles bichos eram realmente rebeldes e sempre insistiam em voltar para a lama logo após o banho diário que ele lhes dava. O pastor tinha que ficar à porta do mangueirão com um pedaço de pau batendo no lombo dos bichos para os obrigar a ir pastar os pastos verdejantes e a beber as águas tranqüilas junto com as ovelhas: - “Agora vocês não são mais porcos, dizia ele, agora vocês são ovelhas; comportem-se como tal”. Sem perceber, passou a dedicar a maior parte do seu tempo tentando manter os bichos na linha. E as ovelhas acabaram ficando em segundo plano. Sem cuidados pastorais, estressadas com a companhia dos porcos que viviam a perturbá-las, elas deixaram de se

alimentar e de se reproduzir e, aos poucos, foram se acabando. O pastor de ovelhas transformara-se em pastor de porcos. Acabou desistindo de ensinar aos porcos o comportamento que se espera de uma ovelha e fazia de conta que não estava vendo seu "redil" chafurdado na sujeira.” A Bíblia nos leva a entender que dois tipos de pessoas caminham juntos na jornada cristã: um é aquele que verdadeiramente nasceu de novo, que é chamado de “nova criatura” (II Coríntios 5:17) e o outro é aquele que apenas teve uma mudança exterior, só mudando de religião, sendo chamado de “porca lavada” (II Pedro 2:22). Apesar de não termos direito de julgar ninguém, pois somente o Senhor conhece o coração, as pessoas acabam revelando quem são em suas atitudes: - Em relação à vida espiritual, a porca lavada valoriza as coisas exteriores, como a aparência e a opinião dos outros, enquanto a nova criatura valoriza o interior, a consciência e o conteúdo; - Em relação ao pecado, a porca lavada tem saudade do passado, namora as tentações e peca se ninguém estiver vendo, enquanto a nova criatura tem nojo do pecado, foge das tentações e sabe que Deus está vendo tudo; - Em relação à perseverança na fé, a nova criatura vive pelo que crê, completa a carreira e é fiel até à morte, enquanto a porca lavada retrocede e volta ao lamaçal. Porco nunca será ovelha, a não ser que sua natureza seja transformada por um poder superior. Foi isto que Jesus quis dizer a Nicodemos, em João 3, quando falou: “importa-vos nascer de novo”! Nós também precisamos nascer de novo, reconhecendo a Jesus Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas...

Pr. Gerson Moura Martins
Fonte: O Sabidinho