terça-feira, 26 de abril de 2011

FORNALHA DE FOGO ARDENTE


O capitulo 3 do livro de Daniel conta-nos a história de três jovens Hananias, Misael e Azarias(nomes Hebreus), também conhecido como Sadraque, Mesaque e Abede-Nego (Nomes babilônicos) dado a eles quando foram levados cativos pelos caldeus, jovens que em defesa da fé enfrentam um grande desafio. A história conta-nos que o rei Nabucodonosor constrói uma estatua e dá uma ordem a todos os seus súditos, quando fosse ouvido o som dos instrumentos, todo o povo deveria prostra-se diante da imagem de ouro, aquele que não se prostra teria como castigo a morte, sendo lançado na fornalha de fogo ardente.

Os instrumentos tocam em toda a Babilônia, os súditos do rei começam a dobrar-se diante da imagem, mais três silhuetas mantêm-se eretas olhando a idolatria e o temor do povo, veem seus irmãos judeus, prostrando-se por temor ao poderoso rei Nabucodonosor, mais os três valentes ignoram o toque, buzina da flauta, da harpa, da sambuca, do saltério, da gaita de foles, e de toda a espécie de música, e continuam imponentes diante aquele quadro que é pintado a sua frente. Quantas vezes queridos agimos como os que se prostraram, ante as dificuldades e desafios tememos de tal forma acabamos dando ouvido ao inimigo de nossas almas e acabamos rendendo a ele culto, quando aquele povo dobrou-se estavam rendendo culto ao inimigo, em tempo de dificuldade, prostre-se somente para o Senhor “Só ao teu Deus adorara e só a Ele prestará culto”, esses três homens eram mais que leitores da palavra, a palavra estava gravada em seus corações, deixe a palavra gravada em seu coração e em momentos de dificuldade mantenha-se de pé.

O rei todo poderoso fica sabendo da decisão desses jovens, ordena que sejam tragos à sua presença e querendo demonstrar sua autoridade, manda-os dobrar-se, e queridos que coisa mais linda os jovens deixam a referencia de lado chamam o rei por seu primeiro nome e declaram que não irão se prostrar, amados tem muito crente dando reverencia ao inimigo, olha que exemplo os jovens nos deixam o inimigo já é um derrotado pelo nome de Jesus a vitória já foi alcançada na cruz do calvário, a nossa reverencia tem de ser ao Todo Poderoso.

O rei se irrita sobremaneira mandam que a fornalha seja aquecida sete vezes mais e ordena que os jovens sejam lançados na fornalha o calor era tanto que os que conduziam os jovens morreram queimados, mais queridos àquela fornalha não foi suficiente para destruir aqueles jovens, pois antes que eles chegassem lá, havia o que é primazia dos viventes, para guardar suas vidas, assim é conosco não importa a fornalha que venhamos a ser lançado o Senhor estará conosco, Deus não os livrou da fornalha, mais os livrou na fornalha, a prova pode até estar doendo mais Deus nos livra em meio às provas, foi assim com eles, foi assim com Daniel na cova dos leões, é assim comigo e com você. E como rei teve de reconhecer quem era o Deus de Hananias, Misael e Azarias, assim também é conosco, ”a prova tem um gosto amargo, mais no fim tem sabor de mel”.

O que aprendemos com essa bela história

1) Sempre teremos opositores a nossa fé

2) Em nome da fé passaremos por provações

3) Precisamos demonstrar nossa fé

4) Somos salvos por nossa fé

Quais os objetivos da vitória da fé

1) Somos soltos de suas amarras

2) Somos protegidos do mal

3) Somos confortados na provação

4) Deus é glorificado

5) Somos recompensados